urlvisit
EXCLUSIVO

Carlos M. Cunha sobre "Festa é Festa": "O Senhor Padre tem surpresas mirabolantes"

A SELFIE acompanhou as gravações de "Festa é Festa", no dia em que a comissão de festas foi à TVI, e conversou com o ator Carlos M. Cunha, que interpreta o padre Isidro.

O que vai acontecer nesta cena?
É a cena, na qual uma comissão da aldeia da Bela Vida [as personagens Bino (Pedro Alves), o Padre Isidro (Carlos M. Cunha), o Tomé (Pedro Teixeira) e a São (Sílvia Rizzo)] vem à TVI para tentar conhecer os responsáveis, a Cristina [Ferreira] e o Senhor [Manuel Luís] Goucha e, essencialmente, queremos contratar as bandas que costumam vir aqui e, sendo assim, podemos, mais facilmente, levá-las à nossa festa. 

Vamos mesmo ter festa na aldeia?
Claro que vamos! Vamos ter festa na aldeia, vamos falar em português e não vamos partir esplanadas! [risos]

O Senhor Padre também vem ajudar?
O Senhor Padre tem surpresas mirabolantes para as festas, que eu não posso revelar, porque jurei que não iria falar sobre isso. Mas o Senhor Padre vai participar. Não se esqueçam de uma coisa: o padre Isidro é o escolhido pela Dona Corcovada para presidir às festas, só que tem estes três apêndices com ele. Foi uma maneira que ela encontrou de pôr estes gajos a trabalhar para a festa, mas com alguém que tem um bocadinho mais de tato, digo eu. [risos]

O que nos pode desvendar mais acerca desta personagem?
Este padre é celibatário convicto. Tem uma paciência de santo para meia dúzia de personagens. Não posso dizer muito mais, porque tudo aquilo que eu posso saber ia desvendar demasiado. 

Qual tem sido o maior desafio nas gravações?
É decorar texto! Para mim, que venho da área da improvisação total, pura e dura, decorar texto tem sido um desafio. Mas temos muito bons colegas, um extraordinário diretor de atores e eles estão a ajudar-me imenso. Este fim de semana, quando estava a preparar as cenas da semana, o meu filho dizia-me assim: "Txi, pai! Tu vais decorar isso tudo?" E eu disse-lhe: "Ainda não estou aí, filho. Vou decorar algumas coisas e outras os colegas do papá vão ajudar." É uma semana difícil. 

Como tem sido a reação das pessoas na rua?
Eu sou de Azinhaga do Ribatejo, uma aldeia pequenina do concelho da Golegã e vivo numa aldeia ainda mais pequenina, encostada a Torres Novas. Há duas semanas, estive nos arredores do Porto e no Douro e as pessoas adoram. O que acho mais interessante é que a grande maioria das pessoas que me abordaram diziam: "Sabe uma coisa? O meu marido nunca viu uma novela e, agora, é o primeiro a sentar-se e diz-me: 'Oh, menina, olha que a novela está a começar'."

E a família, como está a reagir?
A família diz-me: "Oh, filho, arranja um emprego!" [risos] A família está a gostar imenso! Os meninos mais pequeninos gostam de ver o pai, os netos adoram ver o avô e isso é fantástico!