urlvisit

Após ataques de Maria Vieira, José Castelo Branco defende Catarina Furtado: "Horrorosa cheia de veneno"

José Castelo Branco na Selfie
"A Betty já nem se mexe...": após mostrar dança, José Castelo Branco é criticado e responde!
José Castelo Branco comenta polémica com Joana Latino: "Jornalista de quinta categoria"
Catarina Furtado na SELFIE
Maria Vieira na Selfie

José Castelo Branco não ficou indiferente aos ataques de Maria Vieira contra Catarina Furtado e saiu em defesa da apresentadora.

"Como é que a pindérica da Maria Vieira tem o desplante de a vir insultar, minha querida Catarina Furtado", começou por escrever o socialite, numa publicação nas redes sociais.

José Castelo Branco criticou veemente Maria Vieira, deixando-lhe a seguinte mensagem: "Maria, sua maluca... atrizeca de 3.ª... Sua starlett armada em defensora de pátrias fascistas! Olhe para o seu umbigo e deixe os que têm talento trabalhar. E eu a pensar que você era uma querida... Como é possível uma Darling tão divertida virar uma horrorosa cheia de veneno. A velhice está a dar-lhe para ressabiamento?!"

"Olhe que víboras. [...] Ganhe juízo e poupe-me minimamente. pindérica", concluiu.

As palavras do marchand'art seguem-se a uma publicação de Catarina Furtado, que foi vista como uma resposta à eterna "parrachita": "O silêncio é precioso, quando se quer dizer tanta coisa. É de Dante a frase: 'No inferno, os lugares mais quentes são reservados àqueles que escolheram a neutralidade em tempo de crise'."

Recorde, agora, as palavras de Maria Vieira, que, como defensora acérrima de André Ventura, não gostou de saber que Catarina Furtado foi mais uma figura nacional que se opôs ao "Chega". Catarina Furtado mostrou-se preocupada com as políticas do partido de André Ventura, nomeadamente, com uma recente moção, apresentada pelo filiado do partido Rui Roque - antigo militante do Partido Nacional Renovador - que pedia a aprovação de uma lei polémica sobre "retirar os ovários às mulheres que abortem".

"Estou muito preocupada com o que se anda a passar em Portugal e que pode e deve ser evitado! E travado! Que cidadãos estamos nós a criar, que têm medo da Educação para a Cidadania, que é, no fundo, um 'guia' de sobrevivência para a espécie humana, assente nos valores que nos protegem?! Que cidadãos estamos nós a criar, quando alguns chegam (!!) a propor 'retirar os ovários às mulheres que optam por um aborto, como forma de castigo'?! Quero acreditar que estas nuvens negras e muito perigosas vão passar, sem deixar cair uma tempestade de água que nos afogaria. A nós e aos nossos direitos!", foram as palavras de Catarina Furtado que não tardaram a receber a reprovação de Maria Vieira.

"Mais uma serigaita que, há anos, vive à custa do erário publico, uma avençada socialista/caviar, cujo único 'talento' é ler, de longe a longe e mal e porcamente, os telepontos de uns programas medíocres e inúteis, e uma lambisgoia, que viaja regularmente para outros continentes, para fazer de conta que é muito boazinha e se preocupa imenso com os 'refugiados' que vivem lá longe, que decide 'atacar' o Dr. André Ventura e o 'Chega'! Esta gentinha da televisão, que vive sugando o dinheiro público, está a cumprir a missão que os 15 milhões injetados pelo António Costa na comunicação social exigem de todos eles! O Chega está a crescer desmesuradamente, o povo está a abrir a pestana e a descobrir que está a ser condenado à morte pelos malditos socialistas que usurparam o poder em 2015 e estes avençados do sistema que ganham a vida sem nada fazer, andam todos a disparar na mesma direção, com medo de perderem as quotas e o dinheiro com que os socialistas lhes enchem… os bolsos", disse.

"Diz esta serigaita, entre outras alarvidades mentirosas, que está muito preocupada porque 'alguns chegam a propor retirar os ovários ás mulheres', e esta lambisgoia diz isto, sabendo que está a debitar uma mentira e que está a espalhar o ódio sobre um homem (André Ventura) e um partido (Chega) que não defende nada disso e que já provou, através de uma votação massiva, que não defende e que jamais defendeu ou defenderá algo parecido com isso. Oh 'melher', tu estás é preocupada em perder o tacho que rapas, há já vários anos, sem produzires nada de significativo e sem teres nem talento, nem valor, para ganhares um décimo daquilo que o povo é obrigado a pagar-te sem querer! Mas o Chega chegou para ficar e o homem que tu e outros como tu querem abater acabará, mais cedo ou mais tarde, por dirigir os destinos de Portugal e por te cortar a mesada que tu andas a 'papar', à custa de quem tanto trabalha para tão pouco ter…Aceita que dói menos…", concluiu.

Note-se que a "Moção Estratégica para Portugal" apresentou a seguinte premissa: "Às mulheres que abortem no Serviço Público de Saúde, por razões que não sejam de perigo imediato para a sua saúde, cujo bebé não apresente malformações ou tenham sido vítimas de violação, devem ser retirados os ovários, como forma de retirar ao Estado o dever de matar recorrentemente portugueses por nascer, que não têm quem os defenda no quadro atual". Essa mesma proposta foi recusada por André Ventura.