Entrevistas

Isabel Figueira sobre "Somos Portugal": "Críticas e mentiras fazem parte"

No nono aniversário do canal TVI Ficção, Isabel Figueira falou sobre os projetos em que está envolvida.

Em declarações aos jornalistas, Isabel confessou que 2021 foi "um ano muito intenso".

"Tenho, neste momento, a novela 'Bem Me Quer', na qual fiz uma personagem muito diferente da Estela, de 'Amar Demais', que já acabou. Estou a gostar daquilo que estou a ver, não tive muito tempo de preparação, mas foi uma personagem que me fez sair da Estela, que foi uma personagem muito intensa. No 'Somos Portugal', estou fixa, aos domingos, e gosto muito, é a Isabel que está a apresentar, não é a atriz. E o futuro... logo se vê.

A propósito do "Somos Portugal", Isabel Figueira mostrou-se indiferente a quaisquer críticas: "O 'Somos Portugal' foi líder durante muitos anos. Como todos os líderes, por vezes, temos de perder para nos reinventarmos. O programa voltou à estrada, está a subir de semana para semana... portanto, é fazermos o melhor que sabemos fazer. Eu, tal como toda a equipa do 'Somos Portugal', estou a dar tudo, com a maior alegria, a entreter o público português. As críticas fazem parte, as mentiras fazem parte, as verdade fazem parte e acho que, também, há uma maturidade de um programa que já existe há tantos anos e que é tão querido do público português que não vamos ficar melindrados, tristes ou chateados, só porque sai uma notícia menos positiva. O amor e a paixão com que fazemos o programa é o mais importante, e a união que existe entre os apresentadores e a equipa."

Ainda sobre os papeis na ficção da TVI, Isabel Figueira confessou que "gostava de fazer uma vilã, uma daquelas bem cruéis e horríveis, uma vilã à séria, ou uma personagem de outra etnia".

No coração, guarda todas as personagens que interpretou até hoje, especialmente a Michele, de "Valor da Vida": "Foi muito difícil a construção dela... quando ela se prostituía... tinha ali caminhos muito complicados. Os ensaios foram muito difíceis, fui, muitas vezes, para casa a achar que não conseguia fazer aquilo, foi, realmente, sair da zona de conforto. Ser atriz é sair da zona de conforto."

Já para o futuro, Isabel Figueira prefere não fazer planos: "Aprendi, ao longo da minha vida toda, e principalmente com esta pandemia, que temos de viver o dia a dia. Acordo, todos os dias, com vontade de fazer aquilo de que gosto, de estar com os meus filhos, com os meus pais... Sou uma privilegiada."

Relacionados