urlvisit

Fernando Rocha revoltado com situação no Afeganistão: "Para grandes males, grandes remédios"

Fernando Rocha na SELFIE
Fernando Rocha defende Fernando Santos das críticas
Fernando Rocha lamenta: "Somos a casa de banho da Europa"
Bruno Savate surge a almoçar com Fernando Rocha
Indignado, Fernando Rocha faz denúncia e pede ajuda aos fãs

Fernando Rocha juntou-se à onda de revolta com as notícias que chegam do Afeganistão e apresentou uma solução radical para o problema.

Fernando Rocha é a mais recente figura pública a juntar-se ao coro de protestos e revolta após os talibãs terem tomado o controlo de Cabul, no Afeganistão. 

Indignado, o humorista usou o Instagram para se manifestar acerca do assunto. "Mal os talibãs entraram em Cabul, todos os funcionários governamentais fugiram e alguns funcionários das faculdades queimaram o registo dos alunos matriculados, para não serem persseguidos pelos talibãs, mas esqueceram-se que havia, por todo o país, registo de dados biométricos em todo o setor público, para evitar infiltração de talibãs. Esses registos estão, agora, na mão dos radicais. Se prometeram não retaliar nem se vingar de ninguém, para que quiseram esses registos? Vamos acreditar que nada vão fazer?", questionou o, também, ator.

"Por mim, esta história de manifestações pacifistas e rezar à nossa senhora, está visto que não dá: para grandes males, grandes remédios", afirmou Fernando Rocha, que apresentou uma solução radical para o problema.

"Eles querem ser reconhecidos como nação independente? Ok. Deixem sair livremente todos os civis e inocentes que não queiram fazer parte desse regime e, depois, fazia duas coisas", referiu o humorista, antes de explicar que os reconhecia "como nação independente" e, de seguida, "rebentava a última bomba atómica".