EXCLUSIVO

Marta Cardoso: os novos projetos, os colegas do primeiro "Big Brother" e a relação com o filho

Marta Cardoso

Vinte anos passaram desde que Marta Cardoso participou na primeira edição do "Big Brother". Em entrevista, exclusiva, à SELFIE, recordou os ex-colegas, falou sobre os desafios na TVI, os projetos para o futuro e, ainda, sobre a relação com o filho, Marco, de 18 anos.

No dia em que foi anunciada como comentadora residente do "Extra" do "Big Brother - A Revolução", Marta Cardoso destacou o reconhecimento do trabalho que tem vindo a desenvolver na estação de Queluz de Baixo.

"Foi giro, fiquei grata! Tinha noção da responsabilidade e dei o meu melhor. A TVI sempre me tratou muito bem, desde que entrei, em 2011. Deu-me a oportunidade de trabalhar e aprender em inúmeros projetos, e eu agradeço por isso. O que tenho tentado, sempre, fazer é não desiludir quem aposta em mim, e o público, em geral. No fundo, estar à altura das expetativas. Acho que não me tenho saído mal. Este convite é sinónimo de que o objetivo, de ambas as partes, foi cumprido. Fico feliz! Tenho a TVI no coração, desde 2000, pelas razões óbvias... Sempre torci pelo sucesso do canal, comigo ou sem mim. Agora, claro, se posso ajudar e fazer parte, tanto melhor!", afirmou.

Sobre a nova edição do "Big Brother", apresentada por Teresa Guilherme, Marta Cardoso revelou: "Posso dizer que será, sem dúvida, uma revolução! [risos] Mais, não não posso contar, tirava a magia..."

Questionada sobre o que podemos esperar do "Extra", apresentado por Maria Botelho Moniz e com um ilustre leque de comentadores, Marta Cardoso adiantou: "Quando se juntam pessoas com perfis e visões diferentes a comentar um reality, há surpresas todos os dias! Espero que os meus colegas venham com tudo, que valorizem a verdade e que se crie uma equipa coesa e divertida. Posso não me lembrar de metade dos programas que faço, mas, das pessoas, nunca me esqueço... é o que fica, no fim. E não tenho dúvidas de que esta grupeta será, no mínimo, tão boa como a anterior."

Teresa Guilherme, a eterna "rainha dos reality shows em Portugal", também mereceu os maiores elogios de Marta Cardoso: "Gosto da Teresa, admiro-a como profissional e sempre achei um desperdício ela estar fora do ecrã. Este regresso é muito bem vindo."

Questionada sobre se o filho, Marco, de 18 anos, acompanha e costuma dar opinião sobre o trabalho da mãe, Marta Cardoso confessou que "ele não liga nenhuma à televisão", antes de revelar: "Somos unha e carne. Somos companheiros de vida, apesar de muito diferentes em muita coisa. Ele é, e continuará a ser, o meu projeto de vida mais importante e espetacular!"

Recentemente, Marta Cardoso manifestou a vontade de deixar de ser comentadora, no final deste ano, fechando, assim, um ciclo de 20 anos desde que participou no primeiro "Big Brother". A decisão está tomada, apesar de admitir que vai ter saudades: "São 20 anos a viver, a respirar e a trabalhar realitys. Neste formato, já estive em quase todos os papéis: repórter, editora, comentadora, apresentadora, concorrente, jornalista de social... enfim... conheço todas as perspetivas, e isso foi uma bênção, nestes 20 anos, que eu muito agradeço. Agora, é tempo de fechar este ciclo de realitys e partir para novas aventuras. Vou ter saudades. Como tenho saudades da minha infância, da adolescência, das pessoas que já não vejo há muito... enfim, saudades é bom, mas não me agarram nem estagnam. Tudo continua a estar bem vivo na minha memória, para eu visitar, quando quiser. E agarrar novos desafios foi, sempre, a minha praia. Acho que sou um bocadinho viciada em adrenalina [risos]."

Olhando para as imagens do primeiro "Big Brother", no qual participou como concorrente, Marta Cardoso admitiu que nem sempre se reconhece a si própria: "Há coisas que continuam iguais, outras que mudaram completamente... mal seria se não evoluíssemos em 20 anos. Aquela Marta é uma memória muito gira que tenho, e que visito muitas vezes. Fazia tudo outra vez. Não mudava nada, não sou de arrependimentos."

Dos colegas dessa primeira edição, Marta Cardoso foi a única que vingou no mundo da televisão, fruto de muito empenho, como a própria sublinhou: "Os meus colegas não vingaram, porque também não tinham essas aspirações, nem tentaram. Tinham outros objetivos e seguiram as suas vidas nesse sentido. Se tivessem investido em televisão - se isso tivesse sido um objetivo - provavelmente, também teriam conseguido! Eu não sou especial, nem melhor do que eles, simplesmente, tinha esse objetivo e trabalhei nele."

Ainda hoje, a comentadora mantém contacto com alguns deles: "Falo com o Marco, pai do meu filho, com o Zé Maria, com o Mário... com o Telmo, a Célia e a Sónia, mas muito esporádico... Dos restantes, perdi, completamente, o rasto, infelizmente. Mas percebe-se: passaram 20 anos e eu não tenho redes sociais [risos]. Assim, fica mais difícil... Mas guardo-os todos no meu coação e desejo-lhes o melhor do mundo!"

Por fim, Marta Cardoso confessou-nos que desfrutou de alguns dias de férias, nos quais aproveitou para "descansar, desenvolver e trabalhar em projetos pessoais, mas, acima de tudo, para estar em família".

Os planos para o futuro são muitos, mas tudo a seu tempo, como referiu: "Tenho inúmeros projetos pessoais que ainda não tive tempo de desenvolver por falta de tempo. Em relação à televisão, confesso que não pensei nisso... uma coisa de cada vez. Primeiro, fechar este ciclo. Depois, logo se vê, não tenho expetativas. Portanto, estou tranquila."

Questionada sobre se já reencontrou o amor e se é uma mulher apaixonada, Marta Cardoso brincou: "O meu coração está ótimo, nunca me falha [risos]."