Após tragédia, Rita Pereira exige justiça e afirma: "Ser contra o racismo não é uma moda"

Após tragédia, Rita Pereira exige justiça e afirma: "Ser contra o racismo não é uma moda"
Em biquíni, Rita Pereira exibe as curvas e fãs suspiram: "Assim, o Instagram não aguenta!"
As férias de Rita Pereira e Guillaume Lalung no Gerês
Rita Pereira na SELFIE
Rita Pereira com a irmã, Joana Pereira

A atriz Rita Pereira não ficou indiferente à morte do ator Bruno Candé.

Foi no passado dia 25 de julho que Bruno Candé foi assassinado, em Moscavide, por um homem de cerca de 80 anos, com quatro tiros à queima roupa. Logo nesse mesmo dia, o SOS Racismo exigiu "justiça" no caso da morte deste ator, considerando tratar-se de "um crime com motivações de ódio racial".

De lá para cá, vários rostos conhecidos do grande público têm-se manifestado publicamente, a propósito desta tragédia. Foi o caso de Rita Pereira, que deixou um testemunho emotivo, no Instagram, este sábado, dia 1.

"Justiça. Atenção! Ser anti-racista não é ir a uma manifestação, não é postar um quadrado preto só porque todos o fizeram, não é dizer que temos amigos negros e gostamos muito deles, ou dançarmos música africana. Não! Ser anti-racista é manifestarmo-nos, quando assistimos a injustiças, é falarmos quando ouvimos uma 'piada' sobre negros, é corrigirmos quem diz 'aquela pessoa de cor', é isto e muito mais, óbvio. Ser contra o racismo não é uma moda, não é algo que aconteceu há um mês e agora a vida continua como antes. Não! Manifestem-se todos os dias na vossa vida privada. Sejam anti-racistas ativos sempre", escreveu a atriz, na legenda de um vídeo que reivindica justiça para o ator Bruno Candé e respetiva família.

Veja, agora, o vídeo.