urlvisit

Manuel Luís Goucha emociona-se após entrevistar mãe de Rui Pedro e garante: "A Filomena não é louca"

Goucha: «A Filomena não é louca, é uma mãe a querer saber de um filho»
Rui Pedro desapareceu há 23 anos
Filomena: «Neste dia, recordo-me da "montanha" que desmoronou sobre mim»
Filomena: «A esperança de ele poder estar vivo é o que me alimenta»
Filomena: «Eu fui ao fundo do poço, mais do que uma vez»
Filomena: «Para a Polícia Judiciária, eu é que era louca»
Filomena: «Acredito que o Afonso Dias sabe mais do que aquilo que disse»
A fé abalada de Filomena Teixeira

Filomena Teixeira concedeu uma entrevista a Manuel Luís Goucha, na qual assumiu que continua à espera que Rui Pedro, um dia, lhe bata à porta.

No dia em que se completaram 23 anos desde o desaparecimento de Rui Pedro, o menino de 11 anos que foi visto pela última vez a 4 de março de 1998, em Lousada, no Porto, a mãe, Filomena Teixeira, deu uma entrevista ao programa "Goucha", da TVI, e admitiu ainda ter esperança de que, um dia, o filho lhe bata à porta. 

"Para a Polícia Judiciária, o Rui Pedro estava morto em qualquer lado. Para a primeira equipa da Polícia Judiciária, ele não tinha sido raptado, eu é que inventava na minha cabeça. Eu é que era louca", contou Filomena Teixeira a Manuel Luís Goucha, sublinhando: "Podem chamar-me louca, mas eu ainda não perdi a esperança de, pelo menos, saber o que é que lhe aconteceu."

A mãe de Rui Pedro assumiu ter dúvidas sobre se o filho ainda está vivo, mas que alimenta essa esperança: "É o que me alimenta."

Sobre Afonso Dias, que foi condenado, em primeira instância, a três anos de prisão efetiva pelo crime de rapto, Filomena Teixeira afirmou: "Acredito que sabe mais do que aquilo que disse."

Se estiver vivo, Rui Pedro terá, agora, 34 anos e Filomena Teixeira não tem dúvidas de que, se o visse na rua, o reconheceria: "Não tenho dúvidas! [...] Acho que ele ia ser alto, magro... Ele tem uns olhos maravilhosos."

No final do visionamento da entrevista, em estúdio, Manuel Luís Goucha não conseguiu esconder a emoção e confessou: "Apeteceu-me, tanto, abraçar a Filomena, mas não se pode, agora."

"A Filomena não é louca, é uma mãe a querer saber de um filho que desapareceu há 23 anos. Muito obrigado, Filomena", rematou o apresentador.

Veja, agora, os vídeos com a emotiva entrevista de Filomena Teixeira concedida a Manuel Luís Goucha.