Entrevistas

"Cacau" candidata ao Emmy? Maria João Costa responde!

Em exclusivo à SELFIE, Maria João Costa, autora de "Cacau", falou sobre a possibilidade de a novela ser candidata ao Emmy.

É já esta segunda-feira, dia 15, que se estreia a nova novela da TVI, "Cacau". A SELFIE esteve à conversa com a autora da história, Maria João Costa, que nos contou se considera que este projeto pode ser designado como um autêntico "novelão": "As pessoas entendem por novelão como aquele formato mais clássico. É aquela novela que traz uma grande história, quase épica, com grandes segredos, grandes revelações... Acho que as pessoas associam o novelão a essa história muito intrincada e que se vai desdobrando a partir das personagens. Nesse ponto de vista, sim, é um novelão. E também é um novelão se pensarmos no que é em termos de produção. Houve um esforço para termos uma produção acima da média. É a primeira vez que tenho um casamento perfeito entre o que idealizo em termos de escrita e a visão artística, que, depois, se materializa. Quando vejo, vejo com prazer. E fico feliz, porque nem sempre este casamento acontece."

"Houve um salto qualitativo importante que foi o Edgard [Miranda, diretor do projeto] que nos trouxe. Ele tem experiência no Brasil, de há muitos anos, já fez grandes projetos com muito sucesso. Houve uma evolução em termos de imagem, o que muda totalmente o tom da novela. Estive constantemente em diálogo com o Edgard. Foi a primeira vez em que tive um diálogo tão próximo e achei bastante produtivo, refletindo-se no resultado", acrescentou, elogiando, ainda, o elenco: "É fantástico e muito equilibrado. É muito bom quando se vê um elenco como este."

Quase a terminar a escrita da novela, que agora se estreia, Maria João Costa contou-nos se sente falta do feedback do público: "Sim e não. Por um lado, por vezes, as estações são condicionadas pelo feedback do público num mau sentido. Por exemplo, o público detesta uma personagem qualquer, mas, na visão do autor, isso é intencional. A personagem deve mesmo ser odiosa. É mesmo para não gostarem daquela personagem. Não quero dizer que isso me tenha acontecido em particular, de me quererem tirar uma personagem por causa disso, mas pode acontecer com qualquer autor. Aliás, até noutros países, fazem estudos de mercado e começam a querer tirar personagens e erradamente, porque essas personagens estão a ter o efeito pretendido. Francamente, não me incomoda fazer a obra assim. Mas é claro que vou acompanhar o feedback do público."

E como combate essa falta de feedback dos espetadores? Maria João Costa responde: "Vou sempre pedindo imagens adiantadas de vários núcleos para perceber como se estão a sair. Sinto mais falta disso: ver o que os atores estão a fazer lá mais para a frente, porque, por vezes, eles dão características próprias para eu poder introduzi-las mais no texto."

A escritora ainda abordou a hipótese de "Cacau" ser candidata a um Emmy: "Acho que tem possibilidades, mas não depende só de nós. Já fui jurada várias vezes e, quando percebemos como é que funciona o processo de votação, percebemos que há um bocadinho de sorte no meio daquilo para se chegar à final. Tem todas as condições, mas há várias condicionantes: não sabemos quem vai estar a concurso connosco, não sabemos onde é que vamos ser votados... Porque, por vezes, somos votados num continente que tem uma maneira completamente diferente de olhar para as histórias."

Recorde-se que "Ouro Verde", a primeira novela assinada por Maria João Costa, ganhou um International Emmy Award, em 2018.

Relacionados

Patrocinados