Internacional

Voluntárias do Festival Eurovisão da Canção acusam artistas e bailarinos de assédio

A 66.ª edição do Festival Eurovisão da Canção está a ser assombrada por acusações de assédio sexual dirigidas a artistas e bailarinos.

Logo do Festival Eurovisão da Canção
Logo do Festival Eurovisão da Canção

Foi no passado sábado, dia 14, que terminou o 66.º Festival Eurovisão da Canção, uma edição que ficará marcada pela vitória da Ucrânia e, também, por acusações de assédio sexual: algumas voluntárias do certame já vieram a público relatar episódios de gestos e comportamentos inadequados da parte de artistas e bailarinos.

Citando o jornal Corriere della Sera, o site UOL informa que foram feitas, em grupos de mensagens, diversas denúncias de assédio contra delegações que participaram na festa de boas-vindas.

"Se não fosse voluntária, teria esbofeteado um daqueles dançarinos estrangeiros. Depois de nos olharem, durante muito tempo, aproximaram-se de mim e de outras voluntárias e tocaram-nos", afirma uma dessas denúncias.

O site ABC Play cita outros relatos. Paola - nome fictício - afirmou que alguns bailarinos abraçaram-na de forma indiscreta, apalpando-a. "Senti-me impotente. Queria fugir, mas não podia...", lamentou.

"Estou feliz por ter feito parte da Eurovisão, mas nunca pensei que esta boa experiência se transformasse num episódio de assédio. Como se tivéssemos sido assediadas numa discoteca. Nunca esperei que isto acontecesse", acrescentou Paola.

A Câmara Municipal de Turim - cidade onde decorreu a Eurovisão - e a organização do Festival já vieram negar estas acusações, mas, mesmo assim, a RAI - televisão pública italiana - já abriu uma investigação, para apurar a veracidade das denúncias.

Relacionados