Joana Madeira: "Não gosto do Dia do Pai, já me fez chorar várias vezes"

Joana Madeira na Selfie
Joana Madeira sobre Manuel Luís Goucha: "É o meu pai televisivo"
Será que Joana Madeira costuma espreitar as redes sociais dos ex-namorados?
Joana Madeira partilha álbum de fotos de infância
Joana Madeira no Rio de Janeiro

A propósito do Dia do Pai, Joana Madeira decidiu partilhar um desabafo emotivo, no qual confessa ter sentido falta de uma figura paterna, ao longo da vida.

"Eu não gosto do dia do pai. Já me fez chorar várias vezes. Tenho a mania que sou forte. Mas foi porque a vida me fez assim. Não fui criada com nenhum pai. Não sei o que é colo de um pai. Ou até um abraço. Mas tenho a mania de dizer que nunca senti a falta. Talvez tenha sentido. Mas sou teimosa o suficiente para não o admitir. Durante todo o ano nem me lembro do que é ter um pai. Nem do que é ser filha do papá. Mas neste dia é inevitável. Não gosto deste dia. Mas a culpa é minha. Não é vossa. Hoje começa também a primavera. Vou celebrar a primavera. É mais giro para mim", escreveu, recebendo palavras de carinho e apoio, por parte dos seguidores.

Recorde-se que a mulher de Eduardo Madeira já tinha falado, na Selfie, sobre a falta do pai, durante a infância: "Cresci com a minha mãe e a minha avó. Nunca tive uma presença paternal. Isso fez com que odiasse o dia do pai. Mas trouxe-me mimos da mãe a dobrar. Que me fez ser a criança mais feliz deste mundo. Adorava o Natal e os dias em casa da minha avó. Corri Portugal com a minha mãe duma ponta a outra até fazer seis anos. Vivemos nos Açores, Fundão, Sabugal, Covilhã. Até aterrar em Elvas. Foi assim que ganhei toda esta facilidade em fazer amigos. Hoje, já com 27 anos sinto que ainda tenho uma grande dose de criançada dentro de mim. E espero que ela nunca se vá embora."