EXCLUSIVO

Descubra o que fez Rita Pereira no Dia Mundial da Dança

A propósito do Dia Mundial da Dança, a Selfie marcou presença num evento da CriArte, no novo polo cultural de Carcavelos, onde encontrou Rita Pereira, que não quis perder esta iniciativa.

O evento, organizado em parceria com a Associação ART LAB, do bailarino Tiago Careto, contou com as melhores Escolas e Grupos de Dança do Concelho de Cascais. Apaixonada pela dança, Rita Pereira não podia faltar.

O local escolhido para o evento acabou por ter um significado bastante especial para a artista, como a própria revelou: "Carcavelos é de onde eu sou, desde a barriga da minha mãe."

Movida pelo amor à dança e, claro, pela admiração que tem pelos amigos bailarinos e produtores do espetáculo, Rita Pereira contou: "Em palco, com espetáculo produzido por um dos meus melhores amigos e, para mim, um dos melhores bailarinos contemporâneos que eu conheço, Tiago Carreto. O [espetáculo] é produzido, também, por Bernardo Gonçalves. Eles fizeram um trabalho extraordinário. Para quem nunca tinha produzido algo do género, tão grande, com tantas escolas, e com tantas participações... Estou super orgulhosa deles, mesmo."

"Foi maravilhoso. A abertura com o Tiago Careto e com a Carlota foi linda e inesquecível. Este final do espetáculo foi espetacular. E, depois, as várias escolas que existem no concelho de Cascais que nós nem sabemos. Por exemplo, eu, agora, já sei onde é que vou inscrever o meu filho quando ele crescer. Hoje em dia, já há muitas escolas que eu desconhecia e que através da Art Lab passei a conhecer", acrescentou.

Quando questionada sobre o amor pela arte da representação e pela arte da dança, Rita Pereira confessou: "Se eu tivesse voz, fazia musicais porque é a junção de duas artes que eu amo: a dança e a representação. Não posso ter tudo, não é? [risos] Tenho muita saúde, já fico feliz. Não fui abençoada com a voz, mas sou mega fã de musicais, por essa razão. Tens a música, a dança, e a representação juntas."

"Felizmente, tenho tido a oportunidade de dançar várias vezes. Atenção, eu não sou bailarina, nem dançarina, sou apenas uma apaixonada pela dança e tento transmitir essa paixão para as pessoas, através de pequenos movimentos. Nem sempre correm bem, outras vezes correm mais ou menos mas tenho várias inspirações, o Tiago é uma delas. E, depois, é a garra. Podes gostar de dançar, podes ter muitas aulas, podes ir para o Conservatório e tudo mais. Se não tiveres dentro de ti a vontade, a garra e a força de transmitir a dança, não é a mesma coisa", concluiu.