Modelo que acusa Neymar de violação garante: "Ele virou-me e cometeu o ato"

Vídeo mostra discussão entre Neymar e modelo que o acusou de violação
Advogados da mulher que acusa Neymar acreditam que mentiu
Neymar defende-se de acusação de violação
Neymar sofre grave lesão
Neymar na Selfie

Najila de Souza, a modelo que acusa Neymar de a ter violado, deu a primeira entrevista, em que explica o caso.

Najila de Souza falou, pela primeira vez, publicamente, sobre a violação de que, alegadamente, foi vítima por parte do futebolista Neymar.

A modelo descreveu o encontro que terá acontecido no passado dia 15 de maio, em Paris, durante uma entrevista à SBT Brasil

"Ele virou-me, cometeu o ato e eu pedi para que parasse", garantiu a modelo, que continua a descrição: "Enquanto ele o fazia, continuava a bater no meu traseiro violentamente. Virei-me depois, foi tudo muito rápido, numa questão de segundos, depois virei-me. Eu disse 'pára, pára, não'. Eu disse! Ele não comunicava muito, só agia." 

Sem margem para dúvidas, Najila afirmou, perentoriamente: "Fui vítima de uma agressão e de violação."

A modelo recordou, ainda, que conheceu Neymar através do Instagram e que foi ela quem iniciou o contacto. "Mandei-lhe uma imagem, não era um nude. Era um texto. E ele respondeu. Começámos a trocar mensagens. Depois de algum tempo, ele pediu o meu WhatsApp e acedi."

Assumindo que tinha intenção de ter um encontro sexual com o jogador da seleção brasileira, a modelo relata que viajou para Paris, a expensas de Neymar. "Ele pagou. O intuito era sexual, um desejo meu, isso ficou claro. Eu fui com a passagem, fui com expectativa de 'ficar', de me encontrar com ele e realizar um desejo meu. Obviamente, sim, estava preparada (para a relação sexual)", confirmou.

Depois de um início de encontro no hotel em que tudo terá corrido "bem", Najila relata que o avançado do PSG mudou o comportamento: "Ele estava agressivo, totalmente diferente daquele tipo que conheci nas mensagens. Até aí, tudo bem. Como tinha muita vontade de ficar com ele, pensei: 'vou tentar manejar aqui'. Começámos a trocar carícias, a 'ficar', a beijarmo-nos. Depois, ele despiu-me, até aí foi consensual, tudo bem. A seguir ele começou a bater-me: ao início pensei 'ok, estava tudo certo', mas depois começou a magoar-me muito. 'Pára, está a doer'. Ele disse 'desculpa, linda'." 

A partir daí, tudo terá mudado quando a modelo percebeu que Neymar não tinha preservativos. "Declarei que não aconteceria nada além daquilo, porque não podíamos. Ele não disse nada e continuámos", continua a descrever Najila que pormenoriza o que aconteceu a seguir: "Ele virou-me, cometeu o ato e eu pedi para parar. Enquanto ele cometia o ato, continuava a bater no meu traseiro violentamente. Virei-me depois, foi tudo muito rápido, numa questão de segundos, depois me retirei. Eu disse 'pára, pára, não'. Eu disse! Ele não comunicava muito, só agia."

"Segurou-me violentamente, batendo-me, obrigando-me a ficar lá. A relação sexual aconteceu sem preservativos. Quando saí da cama, fui para a casa de banho, não acreditei. Foi uma deceção. Não consegui falar, gritar, chorar, nada. Fiquei em estado de choque. Depois, ele levantou-se, foi à casa de banho, quando entrou por uma porta, eu saí pela outra", descreve a modelo, visivelmente emocionada.

Veja, agora, a entrevista na íntegra.