Mónica Sintra arrasa juiz Joaquim Manuel Silva: "Estive três anos a odiar este homem"

"Podem ver os meus equipamentos todos, podem ver tudo": juiz de Mafra nega ter vídeos de crianças
Juiz denunciado ao MP: “Há uma outra testemunha que corrobora o testemunho”
Juiz denunciado ao MP: “Tenho esperança que estejamos a assistir a um caso sem fundamento”
Juiz denunciado ao MP: “O juiz ligou-me e disse que era uma notícia sem fundamento”
Magistrado do Juízo de Menores de Mafra denunciado por dona de casa de prostituição

A cantora Mónica Sintra teceu duras críticas ao juiz Joaquim Manuel Silva.

O juiz Joaquim Manuel Silva tem estado no centro da polémica, nos últimos dias. De acordo com a TVI24, Ana Loureiro, proprietária de uma casa de prostituição, foi ouvida no Parlamento, no passado mês junho, no decorrer de um debate sobre uma petição para a defesa da legalização daquela atividade.

Perante os deputados, Ana Loureiro denunciou aquilo que caracterizou como uma hipocrisia de personalidades que, em privado, praticam atos contrários às suas posições públicas, dando como exemplo um juiz que, alegadamente, veria, no telemóvel, depoimentos de crianças abusadas para memória futura, enquanto uma prostituta lhe praticava sexo oral.

Na audição parlamentar, Ana Loureiro preferiu não denunciar o nome do juiz. No entanto, diante potenciais indícios de atividade ilícita, o Parlamento comunicou o caso ao Ministério Público e o Conselho Superior de Magistratura abriu um processo. O nome do juiz acabou por ser tornado público na passada quinta-feira, dia 9: trata-se de Joaquim Manuel Silva, juiz do Tribunal de Família e Menores de Mafra.

Entretanto, o magistrado defendeu-se das acusações, numa entrevista à Rádio Renascença, citada pela TVI24. "Isto não pode ser gratuito. Hoje [sexta-feira, dia 10], tínhamos a audição sobre a residência alternada na Comissão Parlamentar. Foi adiada. A notícia vir na véspera de eu ir à Assembleia da República é muita coincidência. O objetivo está conseguido. Há pessoas contra e pessoas a favor da residência alternada. Quem é o juiz que fixa mais residências alternadas sem problemas? Eu: tenho 50%. Tenho para aí uns 500 processos por ano", afirma, garantindo, ainda, que nunca frequentou nenhuma casa de prostituição e que tudo não passa de uma "calúnia".

Mónica Sintra não se mostrou indiferente a esta polémica e decidiu tecer duras palavras a Joaquim Manuel Silva. "Incrível as voltas que a vida dá! Alegadamente... convém, senão ainda tenho um novo processo deste senhor, que está a ser acusado de ter sexo oral, enquanto ouvia depoimentos de crianças. Se a mim me espanta? Claro que não! Ele é bem conhecido pela porcaria que fez no tribunal de Sintra, obrigou-me a trocar de advogado no meu processo de custódia do Duarte [filho da cantora, fruto do casamento, já terminado, com Sérgio Moreira]. Enviou uma acta que não correspondia ao que tinha sido dito na audiência, manifestou desagrado e preconceito pela profissão que eu tenho, disse barbaridades as quais ouvi e calei, e da única vez que não me calei, abriu um processo contra mim. Entre tantas outras coisas...", começou por recordar.

"Disse uma vez: 'Como figura pública, retiro-lhe a guarda total, para as restantes mulheres perceberem que é assim que deve ser, vai servir de exemplo da minha medida! Estive três anos a odiar este homem (bem sei que é uma palavra forte), mas ainda o odeio, pela atitude, pelas palavras e pela sua arrogância! A vida deu a volta e, agora, retiro o Doutor Juiz para tratá-lo como ele tratou muitas mulheres... por ser humano desprezível. Só espero que por ser um juiz não saia impune, e tenha o retorno de todo o mal que causou a muitas famílias e crianças!", terminou a cantora.

Veja, agora, os vídeos sobre o caso polémico, que envolve o juiz Joaquim Manuel Silva.