urlvisit

Jéssica Fernandes fala sobre depressão: "Cheguei a pensar em suicidar-me"

Jéssica Fernandes chegou a pensar em suicidar-se!
Jéssica Fernandes: «Devemos ter empatia e compaixão pelo próximo»
Jéssica Fernandes fala da relação com Renato: «Somos amigos especiais»
Os altos e baixos na relação de Renato e Jéssica Fernandes
"Big Brother": conheça a concorrente Jéssica Fernandes

Na gala de domingo, dia 18, a concorrente do "Big Brother - A Revolução" Jéssica Fernandes aceitou o desafio de desenhar a curva da vida, recordando os momentos mais felizes - e os mais tristes - por que já passou.

Jéssica Fernandes começou por recordar que, com apenas três meses, emigrou para a Holanda. A infância da concorrente do "Big Brother" foi feliz: na primária, tinha uma turma bastante unida.

Contudo, os problemas apareceram no 5.º ano de escolaridade. Nessa altura, Jéssica Fernandes começou a sofrer bullying e entrou em depressão. Aliás, a jovem nem sequer queria que os pais entrassem no quarto, porque sentia uma dor imensa e acreditava que eles tinham de fazer um grande favor em gostar dela, por ser muito feia. "Cheguei a pensar em suicidar-me", admitiu a fadista.

Aliás, Jéssica Fernandes ainda revelou como a música entrou na sua vida. Tudo aconteceu quando, numa noite, a concorrente fugiu com um namorado, o que originou uma acesa discussão com o pai. No final, Pedro decidiu que a filha teria de ir viver com a avó para "assentar ideias". E foi durante esse período que a familiar de Jéssica descobriu que a neta tinha boa voz e desafiou a cantar fado em público.

Afirmando que vive, sempre, uma "ótima sensação" enquanto canta, Jéssica Fernandes acredita que este percurso na música é um motivo de orgulho para a família.

Veja, agora, o vídeo deste momento.

Recorde-se que, caso esteja a sofrer de algum problema psicológico, tenha pensamentos autodestrutivos ou sinta necessidade de desabafar, deverá recorrer a um psiquiatra, psicólogo ou clínico geral, podendo, ainda, contactar uma das seguintes entidades:

- Conversa Amiga (entre as 15h e as 22h) - 808 237 327 (número gratuito) e 210 027 159

- SOS Voz Amiga (entre as 16h e as 24h) - 213 544 545

- Telefone da Amizade (entre as 16h e as 23h) – 228 323 535

- Telefone da Esperança (entre as 20h e as 23h) - 222 030 707

- SOS Estudante (entre as 20h e a 1h) - 239 484 020