urlvisit
EXCLUSIVO

José Carlos Pereira fala sobre a relação especial dos dois filhos

Estreia de "Festa é Festa"
Tomás, filho de José Carlos Pereira e Inês Góis na SELFIE
As primeiras imagens da novela "Festa é Festa"
José Carlos Pereira e Inês Góis na SELFIE
Aniversário do filho de Liliana Aguiar e José Carlos Pereira

José Carlos Pereira foi, novamente, pai, no início de abril e contou à SELFIE como o filho mais velho recebeu o pequeno Tomás e como concilia a paternidade com as gravações de "Festa é Festa".

Como estão a correr as gravações de "Festa é Festa"?
Estão a correr muito bem, num bom ritmo. Temos cumprido aquilo a que nos tempos proposto e assim vai continuar. Esperemos que, até agosto, que é o que está proposto, continuemos em bom ritmo e a 25 de setembro haverá a grande festa, que todos estamos à espera. 

Qual o principal desafio nesta novela?
Tentar não me rir durante as cenas, porque tudo isto é muito non sense, é muito fora da caixa, há personagens completamente loucas e eu tenho de ser a personagem séria quando estou no contraponto com elas. Portanto, é tudo muito e eu tenho de ser menos. Mas há muitas situações que dão muita vontade de rir e, às vezes, é difícil, mas pronto, temos de fazer humor, mas fazê-lo a sério. 

Há semelhanças entre o médico José Carlos Pereira e este Sôtor?
É quase impossível não trazer nada da realidade para a ficção. Alguns pormenores, algumas coisas nas consultas, a maneira como abordo o doente… Há muitas coisas que são naturais. Estou a fazer de médico, vou ter a mesma abordagem que tenho na Medicina. Obviamente, estou cingido a um guião e tenho de cumprir as falas e as tramas que a história, assim, desenvolve. Os pormenores técnicos, a auscultação, a medicação, praticar algumas coisas… Mas, basicamente, são pequenos apontamentos, porque, de resto, na trama, não tentamos entrar muito pela parte médica, como é óbvio. 

Como está a ser viver novamente as maravilhas da paternidade com o pequeno Tomás?
Está a ser maravilhoso! Infelizmente, eu não estou muito tempo em casa, passo as noites. Tento dar ali uma ajuda entre as 20:00 e as 00:00 horas, que é o tempo que tenho. Depois, ele tem dado noites calminhas, o que é muito bom. Mas está a ser uma experiência magnífica! Voltar a reviver esta coisa da paternidade… É muito bom, porque, obviamente, consigo acompanhá-lo todos os dias e, agora, como já não estou a trabalhar tão longe de casa - deixei as urgências que estava a fazer e estou a fazer só clínica e as gravações da novela - consigo acompanhá-lo diariamente e é lindo ver a evolução dele. Os bebés crescem a uma velocidade… [risos]

Está a ser diferente neste segundo filho?
Algumas coisas foram diferentes. Como é sabido e público, eu não estava com a Liliana [Aguiar] quando a Salvador nasceu e, portanto, não pude acompanhar estes primeiros tempos. É uma magia nova, não há grandes comparações. Nós não estávamos juntos e pronto, como tal, não pude acompanhar o crescimento do meu filho tão presentemente nessa altura. Mas com o Tomás estou a acompanhar e, felizmente, as coisas estão bem. 

Como está a Inês [Góis, namorada do ator]?
A Inês está cansada [risos], mas está a recuperar bem. Da própria cesariana, recuperou bem. Está calma, está muito feliz, mas está cansadita. Está a ser uma excelente mãe! Eu já achava que ela ia ser uma mãe fabulosa, super dedicada, super afetiva… Todas as características que eu já via nela, estão a revelar-se verdade. 

Lá em casa, como reagem quando veem o pai na televisão?
O Salvador já reconhece o pai, o Tomás ainda não. O Tomás só ouve a voz do pai a dizer parvoíces [risos]. O Salvador não percebe… Então, agora, com este, ainda vai perceber menos! O pai é médico e, agora, é médico na televisão… Vai ser uma confusão [risos]. Quando a realidade entra pela ficção. O Salvador é um menino fabuloso, um filho mágico, lindo! Além de ser uma criança super sensível, afetiva, o Tomás é muito dado e muito amigo do pai. Sinto muito isso, temos uma relação muito boa. Às vezes, ele pergunta-me quando vou para a televisão. Ele já veio, uma vez, assistir a um programa, mas assustou-se [risos]. Eles vão crescendo e, também, vão percebendo que o pai tem esta profissão de ator.

Como reagiu o Salvador com a chegada do irmão?
O Salvador é um irmão super protetor. Ele já tem outros irmãos do lado da mãe, portanto, consegue muito bem fazer o paralelismo e já diz que vai ensinar coisas lindas ao irmão e que quer ser o mano mais velho… Coisas feias não, diz ele! [risos] Por isso, acho que está tudo bem encaminhado, acho que não vou ter de me preocupar. Só quero é ter saúde para poder continuar a trabalhar e poder continuar a dar aos meus filhos aquilo que eles precisam.

Átor e médico, como consegue conciliar as duas profissões?
Enquanto conseguir conciliar a representação com a Medicina, vou continuar a fazê-lo. Neste momento, só tenho um dia de folga, o domingo. Trabalho às segundas, quartas e sextas nas gravações e às terças, quintas e sábados faço Medicina. Foi a vida que eu escolhi e estou muito grato por conseguir continuar a fazê-lo. É a maior dádiva que Deus me pode dar. E saúde para poder continuar a trabalhar naquilo que gosto!