urlvisit

Diogo Infante sobre "Pecado": "Colocou-me numa série de situações desconfortáveis"

Diogo Infante na SELFIE
Cadela de Diogo Infante operada de urgência
Talento de Diogo Morgado e Diogo Infante é reconhecido pelo público português
"Pecado": conheça o elenco da nova série da TVI
Gravações de "Pecado"

Na minissérie "Pecado", Diogo Infante dá vida a Horácio e conforme o ator confessou esta personagem trouxe vários desafios.

"Acho que nesta série há muitos pecados, peca o padre, pecamos todos porque mentimos e nos iludimos e vivemos de aparências", explicou Diogo Infante aos jornalistas, durante uma conferência de imprensa.

Sobre a trama principal, em que um padre [Pedro Lamares] se apaixona por uma paroquiana [Daniela Melchior], o ator considerou: "É urgente a sociedade civil, e não só, refletir sobre este tipo de votos. Estamos no século XXI, evoluímos e há uma série de princípios que vale a pena questionar se continuam a fazer sentido nos tempos que correm, porque são de uma enorme violência para a natureza humana, tanto que, depois, as pessoas acabam por incorrer no incumprimento dessas normas, porque a natureza fala mais alto e acabam por falhar, pecar. A palavra é essa e é disso que se trata: pecado."

Na trama, também, a personagem Horácio vai lidar com alguns dilemas, mas Diogo Infante confessou ter recebido o desafio de braços abertos. "A personagem [Horácio] confrontou-me e colocou-me numa série de situações desconfortáveis, mas, exatamente por isso, boas. Por vezes, olhávamos uns para os outros e dizíamos: 'Como fazemos isto?'. Só há uma maneira, é mergulhar e não julgar, e houve algumas cenas difíceis, quer porque tecnicamente eram complicadas ou porque estava muito calor, mas essencialmente estou a falar de cenas mais emocionais", esclareceu o ator.

"Esta personagem não tem nada a ver comigo a vários níveis e só por isso representou um desafio. É um homem estruturalmente e moralmente muito diferente de mim. É conservador, representa a família institucionalizada que vive das aparências. Tenta a todo o custo manter a estrutura familiar por ele idealizada, como foi educado, mas tudo está a correr mal. Há nele uma violência intrínseca, uma dureza, uma frieza que não tenho, e trabalhar e acreditar nisso é sempre um desafio para um ator", acrescentou, ainda, Diogo Infante.

Da autoria de Maria João Costa, galardoada com um Emmy na categoria de Melhor Telenovela, a série é uma coprodução TVI e Maria & Mayer e contou com o apoio do Instituto do Cinema e do Audiovisual (ICA). Diogo Infante explicou quais as principais diferenças entre gravar uma telenovela e uma série, afirmando: "Sem fazer juízos de valor, é como da noite para o dia. Uma novela pode demorar sete a nove meses, às vezes dois anos, a gravar pois, são cerca de 200 episódios. Nesta série foram seis episódios gravados durante seis semanas, o que, para nós, foi um luxo. É evidente que tem tudo que ver com o valor de produção. Há séries que fazem seis episódios em seis meses, portanto é tudo relativo. Tem tudo que ver com o investimento."

"Para nós, atores, o essencial é o investimento que fazemos em cada cena, em cada take, em podermos ir mais longe e não termos de correr pela cena porque temos mais 15 ou mais 20 para fazer. Portanto, quando se tem um plano com duas ou três cenas, num dia, nem queremos acreditar, e é evidente que assim o investimento deverá ter um resultado proporcional em termos de qualidade,  do próprio manuseamento das câmaras e da luz, tudo é mais cuidado", afirmou Diogo Infante.

Para o ator, a aposta notória que os canais de televisão portugueses têm vindo a fazer em séries e em produtos de maior qualidade é um ponto muito positivo. "Se fizermos um produto de qualidade, para além de haver esse reconhecimento e de estarmos a contribuir para uma educação do gosto e do sentido crítico, acredito que a possibilidade de vender o produto lá fora é maior. Não há razão para os portugueses não conseguirem competir a esse nível, já temos atores que, felizmente, conseguiram dar esse salto internacional. É altura de as nossas produtoras e dos nossos canais de televisão poderem ter essa ambição de competir num mercado mais global", defendeu Diogo Infante.

No final, o ator evidenciou que este foi um projeto que o marcou sobretudo por causa da "dinâmica familiar" que se estabeleceu entre o elenco: Saímos todos desde projeto cúmplices, felizes, sentimos que fizemos um trabalho bonito e agora é altura de partilhar com o público."

Recorde-se que "Pecado" é exibido aos sábados, à noite, na TVI. O elenco conta com outros nomes de destaque, como Pedro Lamares, Dalila Carmo, Daniela Melchior e Lourenço Ortigão.

A série pode, ainda, ser vista no TVI Player.