No Instagram

Joana Solnado regressa às redes sociais: "Foi estranho ver anos de registo devassados"

Cerca de dois anos depois de ter visto a conta de Instagram hackeada, a atriz Joana Solnado regressou às redes sociais.

Foi em outubro de 2020 que, depois de Andreia Dinis, Sónia Brazão e Fernando Rocha terem ficado sem acesso às respetivas páginas de Instagram, Joana Solnado foi, igualmente, lesada e ficou sem acesso às respetivas redes sociais.

Agora, Joana Solnado sentiu necessidade de regressar às redes sociais, após dois anos de afastamento.

"Alguém roubou as minhas contas das redes sociais, no final de 2020, e eu não as consegui recuperar até hoje. Foi estranho ver anos de registo devassados e apagados. Pessoas a fazerem-se passar por mim. Nunca percebi o porquê disso. Continuo sem conseguir atingir", começou por referir a atriz.

"Aproveitei, depois de algumas tentativas, a desculpa de não conseguir tê-las de volta para, então, sair das redes. Que maravilha. Um alívio, uma sensação boa de liberdade e mais espaço mental para fazer outras coisas, para criar. Nunca fui de ficar muitas horas aqui, mas o tempo que ficava era precioso e eu gastava-o sem prazer. Passaram dois anos. As redes sociais não me fizeram falta absolutamente nenhuma, muito pelo contrário. Até ao dia em que fizeram", reconheceu Joana Solnado.

"Dia 24 de fevereiro de 2022, quando começou a guerra. Nesse dia, mudei de necessidade e a minha opinião mudou com ela. Precisei da vossa ajuda para divulgar informação importante que poderia salvar vidas e não tinha como chegar às pessoas que me seguiam. Esse momento, foi o primeiro, em dois anos, em que tive pena de não ter redes sociais e de não poder contar convosco pela minha mão", lamentou a neta de Raul Solnado. 

"Cada pessoa que aqui chega, pode mudar a vida de alguém, em algum momento. A importância das comunidades, nos tempos de hoje, dá-nos grandes privilégios que eu não quero perder. Continuarei a não gastar muito tempo por aqui, mas tenho a convicção de que se o que partilhamos puder mudar o dia de alguém, esse movimento na polis já valeu a pena, tornou-se, inevitavelmente, uma ação política", completou.

Relacionados