Katia Aveiro: "A minha cama era sustentada por tijolos e fui mordida por um rato"

Katia Aveiro na SELFIE
Katia Aveiro ensina a fazer a receita preferida de Cristiano Ronaldo: Bacalhau à Brás
Filhos de Cristiano Ronaldo mimam prima bebé e deixam Katia Aveiro "babada"
"Família" de Cristiano Ronaldo volta a aumentar
Família de Cristiano Ronaldo no Egito

A irmã mais nova de Cristiano Ronaldo recorreu às redes sociais para recordar a casa humilde onde nasceu e as dificuldades que Katia Aveiro e a família passaram.

Foi nas redes sociais que Katia Aveiro partilhou algumas memórias de uma infância difícil que uniu a família. Um desabafo que foi acompanhado de uma imagem da casa onde cresceu, com os irmãos, Cristiano Ronaldo, Elma e Hugo Aveiro, bem como com a mãe, Dolores Aveiro, e o pai, José Diniz Aveiro.

"Eu nasci numa casa velhinha, a minha cama era sustentada por tijolos e fui mordida, na cara, era ainda uma bebé de meses, por um rato (não tenho vergonha nenhuma de dizer isto), graças a Deus, a minha mãe chegou a tempo, se não era mais feia do que sou hoje", contou, brincando com a situação, que, felizmente, correu pelo melhor.

"Cresci num bairro pobre, desde cedo, aprendi a valorizar o pouco que tinha, a vida sempre respondeu, ao longo do tempo, com alternativas, seja por mim, seja por quem me rodeava, e a gente ajudava-se, uns aos outros, aí nasceu a união, porque dividíamos com os nossos toda e qualquer conquista", acrescentou.

"Desde pequena que a minha mãe me ensinou a partilhar, entre nós, o que tínhamos. A capacidade de ajudar alguém não tem a ver com as suas posses, todos devem e podem ajudar alguém, independentemente, da condição social, a ajuda é vasta, eu já fui ajudada por pessoas, sem que elas soubessem...", continuou

"E tu, ajudas alguém? (Hoje escutei esta frase e faz todos o sentido... se queres ajudar alguém, não lhe dês peixe, mas ensina-o a pescar). Escusado será dizer que mensagens ofensivas e fora do contexto, eu bloqueio o autor...", concluiu