Conta-me

Carlão recorda episódio da adolescência: "Cuspiram-me nas costas"

O artista Carlão teve uma conversa emotiva com Manuel Luís Goucha, no programa "Conta-me", e recordou a infância e a adolescência.

Em entrevista ao programa "Conta-me", Carlão fez uma retrospetiva da vida pessoal e profissional, recordando, assim, os momentos bons e os mais desafiantes.

Nesse balanço, o artista, de 46 anos, confessou que se sente "mestiço" no corpo... e no espírito: "Sou mestiço de sangue, de cabeça e de tudo. Demorei muito tempo a pertencer a um clube, a um género, a um tipo. Na minha adolescência, senti-me desenquadrado. Andei durante muito tempo à procura tanto no aspeto físico, como culturalmente."

E foi durante a busca por essa identidade que Carlão viveu um episódio que o marcou, até hoje: "Tive a minha fase gótica. Depois, veio o hip hop. Houve até um dia em que comprei uma camisa às riscas para ir a uma discoteca, na Costa da Caparica, e durante uma semana tentei ser beto. Mas cuspiram-me nas costas e aí percebi que não, aquilo eu não ia ser, de certeza."

"Tentei adaptar-me a uma série de coisas, porque acho que nós, na adolescência, queremos pertencer a um grupo. Nós não nos queremos destacar, porque quem se destaca é gozado, mas tem, ao mesmo tempo, uma demonstração de caráter muito forte", acrescentou o ex-vocalista dos Da Weasel.

Veja, agora, na íntegra, a entrevista concedida por Carlão, no programa "Conta-me".

Relacionados