EXCLUSIVO

José Manuel Santos: "Nunca me passou pela cabeça que, aos 50 anos, ia subir a um pódio"

José Manuel Santos é, há vários anos, uma das caras conhecidas da informação da TVI, mas o jornalista tem uma outra grande paixão: a dança.

"Começámos há cerca de três anos, na desportiva, numa questão de juntar o útil ao agradável. Em fevereiro de 2017, começámos a competir. Já vamos com quatro ou cinco competições e vencemos todas, nomeadamente o campeonato nacional no nosso escalão. O bichinho da dança sempre existiu. Lembro-me de ser pequenino, de ter uns sete ou oito anos, e ir à festa da terra dos meus pais e dançar. Sempre que havia oportunidade, íamos a bailes de Carnaval... Mas a responsabilidade é da Susana. Há três anos, fez-me um ultimato, porque ela queria dançar e disse-me que, se eu não fosse, arranjava outro par e ia com ele [risos]", recordou José Manuel Santos, que dança com a mulher, Susana.

Atualmente, o par treina durante três horas, três vezes por semana. "Ao final do dia, preciso de alguma coisa que me agite, em que descarregue as energias", confessou o jornalista.

Questionado sobre a ansiedade que o acompanha nas competições, comparativamente ao nervosismo de estar em frente a uma câmara, José Manuel Santos não hesitou: "Uma coisa é um estúdio de televisão e uma câmara, coisas a que estou habituado há 20 anos, outra coisa é uma pista de dança, em que temos de nos habituar a várias questões. Nunca me passou pela cabeça, alguma vez, que aos 50 anos eu me metesse numa coisa destas... de competir, de subir a um pódio."

Conciliar o jornalismo e a dança não tem sido, no entanto, tarefa fácil. "Acordo, todos os dias, às 4:00 horas da manhã. Aqui na escola, treino das 20:30 até às 23:00 horas. Às terças, quartas e quintas, que são dias de treino, durmo cerca de duas ou três horas. Quem corre por gosto, não cansa. Quem dança por gosto, não cansa. Esqueço-me dessa parte, compenso à tarde... sento-me e adormeço [risos]. Quando se faz qualquer coisa por gosto, esquece-se o resto", sublinhou.