Internacional

Cantor R. Kelly condenado a 30 anos de prisão

O cantor norte-americano R. Kelly foi declarado culpado por crime organizado e tráfico sexual, tendo conhecido, agora, a pena que terá de cumprir.

R. Kelly foi condenado a 30 anos de prisão, depois de ter sido confrontado por algumas das vítimas em tribunal, adiantou a imprensa internacional.

O artista, de 55 anos, foi acusado de liderar um esquema organizado de tráfico sexual e abuso sexual de menores e mulheres, tendo sido declarado culpado em setembro de 2021.

O júri do tribunal federal de Brooklyn, em Nova Iorque, condenou Robert Sylvester Kelly após ouvir acusações de que terá usado a respetiva equipa de assessores e agentes para conhecer jovens e mantê-las em silêncio.

Terá, ainda, usado, segundo a acusação, a "fama, dinheiro e popularidade" para, sistematicamente, "predar crianças e mulheres jovens, para própria satisfação sexual", conforme acusaram os procuradores, por escrito, no início do mês.

Vários acusadores testemunharam, também, que R. Kelly os terá submetido a caprichos perversos e sádicos, quando eram menores de idade.

"O público precisa de ser protegido de comportamentos como este", disse a juíza Ann Donnelly, citada por vários órgãos de comunicação social norte-americanos.

R. Kelly optou por não falar na audiência devido a litígios pendentes.

O artista encontra-se preso sem direito a sair sob fiança desde 2019 e enfrenta, ainda, acusações de pornografia infantil e obstrução à justiça em Chicago, num julgamento que está previsto para ter início em 15 de agosto.

Recorde-se que o vencedor de três Grammy foi uma das maiores estrelas da música, nos anos noventa, com sucessos que incluíram "I Believe I Can Fly", "Bump 'N' Grind" e "Ignition".

Relacionados