Polémica Cristiano Ronaldo e Kathryn Mayorga: testes de ADN dão positivo

Cristiano Ronaldo na Selfie
Ronaldo: «2018 foi o ano mais difícil em termos pessoais»
Ronaldo: "Mudei de canal para o Cristianinho não ver que falam mal do pai"
Ronaldo lavado em lágrimas durante entrevista
Acordo de confidencialidade entre Cristiano Ronaldo e Kathryn Mayorga
Advogado de Mayorga dirige-se a autoridades portuguesas

Segundo apurou o jornal The Sun, o ADN de Cristiano Ronaldo corresponde ao que foi encontrado no corpo de Kathryn Mayorga.

O "caso Mayorga" tem novos desenvolvimentos. Segundo a publicação britânica, a amostra retirada do corpo de Kathryn, em 2009, altura em que alegadamente terá sido abusada sexualmente pelo por Cristiano Ronaldo, corresponde ao ADN do craque.

Estes testes integram, regularmente, uma investigação desta natureza e, ao que tudo indica, o internacional português irá realizar o procedimento, já que, até à data, se tem mostrado cooperante face aos pedidos das autoridades.

A confirmação está nas cerca de 100 páginas de e-mails trocados entre as autoridades e os procuradores do caso. Já que um dos e-mails é do detetive Jeffrey Guyer, de Las Vegas, no qual o The Sun diz que se pode ler: "Já temos os resultados do ADN e corresponde".

Note-se que, recentemente, o internacional português confidenciou ao jornalista Joaquim Sousa Martins que o ano passado foi "o mais difícil", por causa do caso Mayorga: "2018 foi possivelmente o ano mais difícil para mim. Não a nível profissional, mas pessoal. Quando as pessoas metem em causa a tua honra, dói." Cristiano Ronaldo, de 34 anos, elogiou Georgina Rodríguez e a forma como a jovem argentina lidou com a polémica acusação de violação de que foi alvo por parte de Kathryn Mayorga.​

Recorde-se que o futebolista foi acusado de abuso sexual, referente a junho de 2009, por parte da norte-americana que alega ter sido abusada sexualmente por CR7, num hotel em Las Vegas. Segundo as acusações, Cristiano Ronaldo terá obrigado Mayorga a praticar sexo anal e ter-lhe-á pago 325 mil euros pelo silêncio.