EXCLUSIVO

Dicas para eliminar o sal da sua dieta

Ana Albernaz
Dicas para eliminar o sal da sua dieta

Importante para o bom funcionamento do organismo, o consumo excessivo de sal pode ser extremamente prejudicial à saúde. A Organização Mundial da Saúde recomenda o consumo de menos de 2 g de sódio por dia, o que equivale a 5 g de sal, mas a média nacional é de mais do desta quantidade.

A convite da Selfie, a nutricionista Helga Teixeira deixa dicas de substitutos saudáveis do sal e as formas de os incluir na sua dieta, sempre sem excessos, mas garantindo que não passará a ter uma alimentação insonsa.

- Sal marinho e flor de sal

São sais menos refinados e processados e, por isso, contêm mais alguns minerais do que o sal de mesa ou o sal grosso, que são refinados. No entanto, contêm na mesma muito sódio, pelo que o seu consumo deve ser reduzido.

- Sal-rosa e sal dos Himalaias

São mais ricos noutros minerais e têm um teor de sódio inferior ao sal comum. Ainda assim, só são uma alternativa ao sal comum quando utilizados na mesma quantidade ou em quantidades inferiores.

- Sal com teor de sal reduzido

Embora estes sais contenham na mesma sódio, têm um teor bastante inferior. Mas precisamente por ainda conter sódio, deve-se utilizar de uma forma regrada.

- Sal sem sódio, ou “sal para hipertensos”

Não contém sódio, pelo que é um bom substituto do sal para quem não consegue baixar o seu consumo. Para além disso, muitos deles são compostos por potássio, que ajuda a baixar a tensão arterial.

- Salicórnia

Esta erva, conhecida como “sal verde” ou “espargos do mar” cresce livremente em zonas com sódio, como as salinas. Os seus caules carnudos são salgados, devido à absorção direta do sal do mar e do solo onde se desenvolvem. Desta forma, é uma boa alternativa para uso culinário em detrimento do sal, podendo ser usada fresca, seca ou em pó.

Ervas aromáticas

A sua utilização tem um duplo efeito positivo para a saúde, quer por possibilitarem a redução da adição de sal na culinária, quer pelas sua propriedades benéficas para a saúde. Embora os níveis de ingestão destas ervas seja reduzido, são fornecedoras de fibras, vitaminas, minerais e fitoquímicos (substâncias que atuam como antioxidantes, bactericidas e antivíricos).

DICA: Para ir reduzindo o sal que adiciona na confeção dos alimentos, sem notar uma diferença brusca no sabor, deve ir reduzindo a sua quantidade progressivamente, de forma a que o paladar se vá habituando. Para isso, comece a medir sempre o sal que adiciona à comida com uma colher para ter uma melhor noção do que coloca, pois a olho uns dias pode colocar menos e outros dias mais, sem se aperceber. Se for reduzindo aos bocadinhos, de dia para dia, não nota a diferença no sabor da comida e daqui a uns tempos pode estar a colocar metade do sal que utilizava até agora.