Parlamento homenageia cantor Eduardo Nascimento e apresentador Gugu Liberato

com Lusa
Eduardo Nascimento

O parlamento aprovou esta sexta-feira votos de pesar pelas mortes do cantor Eduardo Nascimento, que interpretou "O Vento Mudou", e do apresentador de televisão brasileiro Gugu Liberato, um lusodescendente.

Os dois votos foram apresentados pelo PSD e aprovados por unanimidade, tendo o parlamento respeitado um minuto de silêncio pelas várias manifestações de pesar.

O cantor Eduardo Nascimento, que, em 1967, representou Portugal no Festival Eurovisão da Canção com a música "O Vento Mudou", morreu em 22 de novembro, em Lisboa, aos 76 anos.

Nascido em Luanda, Angola, em junho de 1943, destacou-se na cena musical de Lisboa na década de 1960, com a participação num concurso de 'ié-ié', realizado no antigo Teatro Monumental. Nascimento atuava com a sua banda, o conjunto Os Rocks, com o qual venceu o Prémio de Imprensa, em 1966.

O nome de Eduardo Nascimento ficou desde sempre associado a "O Vento Mudou" - que ficaria em 12.º lugar no Festival da Eurovisão da Canção, em Viena - embora tivesse prosseguido o percurso na música com Os Rocks, até 1969, atuando em Portugal e em Angola.

De acordo com a sua biografia, no final da década de 1960, Eduardo Nascimento trocou os palcos e a música por uma carreira profissional na aviação, primeiro na TAP, depois em companhias aéreas africanas.

O voto do PSD salienta que Eduardo Nascimento foi o primeiro cantor negro a representar Portugal e o segundo a pisar os palcos do eurofestival da canção.

António Augusto Morais Liberato, mais conhecido por Gugu Liberato, era lusodescendente e os seus "pais originários de Mirandela, assumindo orgulhosamente a sua nacionalidade portuguesa e fazendo questão de divulgar permanentemente Portugal" no Brasil, lê-se no texto aprovado.

Gugu Liberato morreu em 22 de novembro, Orlando, na Florida (Estados Unidos), e era considerado um dos mais reconhecidos vultos da televisão do Brasil, tendo-se distinguido em vários programas da SBT e da TV Record.

Em ambos os votos, a Assembleia da República expressou pesar pelas mortes e apresentou condolências às famílias.