Em biquíni, advogada Suzana Garcia dá dicas para a quarentena: "Estamos em guerra"

A quarentena da advogada Suzana Garcia
Suzana Garcia elogia postura de António Costa e crítica a de Marcelo Rebelo de Sousa
Suzana Garcia: «Nós vivemos tempos difíceis que nos exortam a sermos solidários»
Suzana Garcia acredita que o estado de emergência já deveria ter sido decretado
Advogada do "Você Na TV!", Suzana Garcia, sofre acidente grave

Tal como a maioria dos portugueses, a advogada Suzana Garcia está em isolamento social, mas tem aproveitado para partilhar dicas sobre como ocupar o tempo livre.

A comentadora do "Você Na TV!" usou as redes sociais para enviar uma mensagem de esperança aos seguidores, mas também para deixar algumas dicas sobre como aproveitar o tempo livre nesta fase de pandemia mundial.

"Meus queridos, não devemos ser alarmistas, mas também não podemos fugir da verdade: Estamos em guerra.
Não só o nosso país, mas o mundo inteiro; Somos todos, mas todos, independentemente da língua, raça, religião, ideologia politica ou nação... soldados aliados na mesma batalha", começou por escrever Suzana Garcia, que refere: "E, perante uma guerra, triunfam aqueles que sabem quando lutar e quando esperar."

A advogada aproveitou, igualmente, para salientar o importante papel dos profissionais que continuam a assegurar os serviços mínimos no país. "Neste momento, há soldados na linha da frente que dão a própria vida, pela nossa. É para isso que foram treinados todos estes nobres médicos, valiosos enfermeiros, incansáveis polícias e imperturbáveis militares, que avançaram dois passos à frente, guardando-nos na retaguarda.
Respeitemos esse esforço, por favor... Honremo-lo, fazendo a nossa parte", apelou, antes de continuar: "Também somos soldados nesta guerra, embora numa frente diversa. Ficar em casa, cumprir ordens, respeitar e pensar nos idosos, comprar apenas o necessário, dar a vez aos mais frágeis, proteger os nossos, mas sobretudo os outros, faz de nós verdadeiros heróis. Uma guerra é vencida pelos que partem para a dianteira.
Mas também pelos que ficam na retaguarda. Pelos que curam os doentes. Mas também, pelos que não se deixam adoecer."

Confiante que a pandemia será controlada e que o coronavírus será vencido, Suzana Garcia recordou as inúmeras lutas travadas pela Humanidade ao longo de séculos e afirmou: "A esperança é a maior das forças humanas, se não nos deixarmos dominar pelo desespero. (...) Esta Covid19 vai ser "covidada" a marchar de saída...com os nossos melhores cumprimentos. Porque nós, somos só nossos e de quem queremos; Não nos vamos render a este inimigo cobarde, invisível e traiçoeiro. Muitos cairão. Mas não a nação. As adversidades não tornam os homens nem melhores nem piores. Apenas revelam-nos como são. Quanto maior a dificuldade, tanto maior o mérito em superá-la. E nós, somos grandes, meus queridos!".

Depois, a advogada recordou que, "tantas e tantas vezes, reclamamos por mais tempo", e que, nesta fase, há que aproveitá-lo. Suzana Garcia tem-se dedicado à jardinagem, bricolage e à culinária, conforme mostrou nas fotografias que partilhou.

"Eu, decidi escolher nesta fase, amarelo para tudo. E laranja, para o resto. Diz que são cores de felicidade.
Nesta semana e meia, pus-me a apanhar sol no terraço (esquece lá a praia, por amor de Deus!), rebolei no jardim, plantei sementes em casca de ovo - sempre quis experimentar - decidi ler, finalmente, Proust, experimentar novas receitas, repetir outras tantas, ligar mais vezes aos meus, pintar caixas de amarelo, prega-las à parede e cultivar alfaces, decapar, pintar, respirar, treinar em casa, escutar mais, sentir melhor...e ainda nem comecei...Hoje? Até aprendi a falar num tal de Skype, a pedido da TVI, mas desta vez, a primeira na vida, instalado por mim, num equipamento meu (não gozem, por favor, que estas tecnologices são um desafio para esta alminha). Não correu pior porque a paciência dos colaboradores em causa foi do bíblico Jo e a generosidade era infinita. Mas fi-lo. E, para a próxima, "as God is my witness", vai correr muito melhor", relatou a advogada, antes de terminar com uma mensagem mais poética.

"Para terminar, partilho convosco que, nas traseiras da minha casa, a relva foi invadida por azedas em menos de duas semanas. Hoje, como no passado domingo da tentiva de bronzeamento, escolhi outro bikini amarelo para lhes fazer pandam. Deitei-me no meio delas. Azedas? Eram. Já não são. Umas, comi-as. Outras, capei-as. Subitamente pareceram-me doces. Como tudo que é azedo na vida", concluiu.

Veja, agora, as imagens da quarentena de Suzana Garcia na galeria que preparámos para si.