urlvisit

Luís Borges quebra silêncio sobre a morte de Eduardo Beauté

Luís Borges mostra festa de aniversário do filho Eduardo
Luís Borges nunca achou que Eduardo Beauté se tinha suicidado
Como Luís Borges explicou aos filhos que o pai tinha morrido
Luís Borges: «Nunca vou admitir que digam que sou mau pai»
Luís Borges: «Os comentários feitos quando o Eduardo morreu foi o que me magoou mais»

A convite de Maria Cerqueira Gomes, Luís Borges esteve no "Você Na TV" e falou, pela primeira vez, sobre a morte do ex-marido, Eduardo Beauté, vítima de um Acidente Vascular Cerebral.

2019 não foi um ano fácil para Luís Borges. Apesar de ter vivido momentos felizes a nível profissional, o manequim viu partir a mãe e o ex-marido, o cabeleireiro Eduardo Beauté, com quem tem três filhos em comum: Lurdes, Bernardo e Eduardo.

"Tentei resguardá-los ao máximo. As pessoas não sabem que eu tinha uma relação de amizade com o Eduardo e que o ajudava muito em todos os momentos. O Eduardo passou por várias situações complicadas e eu estive sempre lá para o apoiar, porque ele era pai dos meus filhos, independentemente do que aconteceu no nosso casamento. Eu, definitivamente, estava em paz com o Eduardo", começou por referir.

Em conversa com Maria Cerqueira Gomes, Luís Borges contou, ainda, que esteve com o cabeleireiro dois dias antes de este falecer: "Estive a falar com ele sobre o novo projeto que ele ia abrir e ele estava super feliz, em paz. Quando recebi a notícia, para mim, foi um choque. Ninguém está à espera de receber a notícia de que alguém morreu. Independentemente de tudo, vivi oito anos com o Eduardo e vai ser para sempre uma pessoa super importante na minha vida. Foi duro."

Sobre as especulações de que Eduardo Beauté teria cometido suicídio, Luís Borges garantiu que nunca lhe passou pela cabeça que isso pudesse ser verdade: "Nunca pensei, porque nós falávamos imenso sobre isso, apesar de ter havido uma altura em que o Eduardo teve um devaneio e publicou coisas que não devia nas redes sociais. Nós falávamos imenso sobre isso e a nossa preocupação era os nossos filhos. Quando soube, a minha preocupação foi: como é que eu vou dizer aos meus três filhos que já não têm o pai, principalmente, à Lu, que era a menina dos olhos dele. O Eduardo amava os três de maneira igual, mas, realmente, ela era a princesa."

A propósito do momento em que teve de contar aos filhos, Luís Borges recordou: "[Foi] um bocado difícil. Eu tenho uma pessoa que é o meu apoio neste momento, que é a Alice, que era secretária e amiga do Eduardo, viveram juntos… Realmente, tivemos de explicar que o pai estava doente, que teve de ir para o céu, e que, neste momento, é uma estrelinha a olhar para eles. Hoje em dia, a Lu vê o pai como uma estrela e cada vez que precisa de alguma coisa vai à varanda e procura a estrela para saber onde está o pai para falar com ele. Acho que a Lu, hoje em dia, consegue lidar bem com essa realidade de não ter o pai presente e é uma menina super feliz. É normal que sinta muitas saudades. Disse-lhe que ela iria sentir ainda mais, e quando sentir para falar comigo ou com a Alice, mas acho que ela está bem e vai ficar bem."

Em casa, o manequim também continua a fazer questão de manter bem presente a memória de Eduardo Beauté: "A minha casa está com fotos deles com o Eduardo e minhas com o Eduardo, porque é uma pessoa que quero manter presente na vida deles. Ele é o pai deles e vai ser sempre. A Lu cada vez que vê uma foto fala com ele, ela dorme, inclusive, com um terço que o pai lhe deu debaixo da almofada. [...] Há um tapete na minha sala que era da casa do Eduardo, e quando eles viram o tapete, disseram que aquele tapete era da casa do pai. Eu quero que eles sintam que o Eduardo está presente. A escola deles é super longe da minha casa e eu decidi manter, a babysitter deles é a mesma… A minha preocupação é os meus filhos e o bem-estar deles, portanto, tudo o que puder fazer para que eles se sintam bem e para que não sintam muito a ausência do pai, vou fazer."

Sincero, Luís Borges não escondeu, no entanto, o quanto se sentiu magoado ao longo destes meses: "Há uma coisa que eu não vou admitir a ninguém é que digam que sou mau pai, porque isso não sou, nem nunca fui, e o Eduardo sabe disso. [...] Quando foi a morte do Eduardo, tudo o que se escreveu quando souberam que ele tinha falecido, isso para mim foi o que me magoou mais, porque as pessoas não sabiam de tudo o que aconteceu e que nós éramos grandes amigos. Sempre estive lá para ele. A vida é assim e eu sigo em frente."