EXCLUSIVO

Isabel Loução Santos fala à Selfie sobre a série documental "A Crise das Nossas Vidas"

Igor Pires

Os jornalistas Isabel Loução Santos e Paulo Ferreira são os autores da série documental "A Crise das Nossas Vidas", que será transmitida já a partir desta segunda-feira no Jornal das 8 da TVI.

É já a partir desta segunda-feira, dia 15, que a TVI vai emitir no Jornal das 8 a série documental "A Crise das Nossas Vidas", um trabalho jornalístico, da autoria de Isabel Loução Santos e Paulo Ferreira, que pretende contar histórias dos portugueses afetados pela crise, que se iniciou em 2008, e que tentam refazer a vida dentro e fora do país. No entanto, a série documental tem também como objetivo ouvir de novo os principais protagonistas políticos desse que foi um dos períodos mais negros da história recente de Portugal.

"A ideia é tentar dar uma perspetiva global sobre a crise que teve início há 10 anos, aproveitar a distância dos factos para olhar para os acontecimentos de uma forma mais organizada. Em relação aos principais decisores políticos deste período (2008-2014), o objetivo foi o de obter um relato 'na primeira pessoa' dos momentos mais críticos, das decisões mais difíceis de tomar, dos balanços e das lições que retiram deste período, agora já num registo mais distanciado e refletido", conta Isabel Loução Santos. 

Os depoimentos totalizaram mais de 15 horas de gravação. Entre algumas declarações reveladoras, José Sócrates diz hoje que nunca devia ter formado governo minoritário em 2009, Passos Coelho revela que sugeriu ao Presidente da República, por duas vezes, que encontrasse outra solução governativa e Teixeira dos Santos, por seu lado, revela os detalhes dos dias críticos de Abril de 2011 que o levaram a provocar o pedido de ajuda internacional contra a vontade do então primeiro-ministro. Durão Barroso, Paulo Portas, Maria Luís Albuquerque e António de Sousa são os outros protagonistas políticos que participam na série documental.

Nesta reflexão, há também espaço para revisitar alguns dos portugueses que foram mais afetados pelas consequências da crise, como o desemprego, a emigração ou os colapsos da banca: "Nestes casos, o desafio foi o de voltar a dar rosto às histórias de vida registadas ao longo dos últimos 10 anos no arquivo da TVI. Para isso, foi realizado um trabalho de pesquisa muito exigente que nos levou ao reencontro com algumas destas pessoas, que nos contam como ultrapassaram ou não a crise", explica Isabel Loução Santos.

"Os cinco episódios estão divididos por períodos históricos e por temas. O primeiro retrata os anos duríssimos das falências e do desemprego. O segundo centra-se no período especialmente tenso e crítico que conduziu ao pedido de resgate. O terceiro debruça-se sobre o período da troika, o quarto aborda a crise da banca e o último episódio é dedicado às histórias de vida que reencontrámos, em alguns casos, 11 anos depois", acrescentou a jornalista, em declarações exclusivas à Selfie. 

E será possível tirar alguma lição da crise de 2008? Isabel Loução Santos não tem dúvidas: "Uma das lições é que é impossível evoluir sem reconhecer o que falhou, e isto aplica-se a todos os portugueses, não só aos políticos. É preciso exigir responsabilidades, falar abertamente sobre os problemas e sobre quem os está a causar, e ter capacidade de autocrítica. Estas são também, a meu ver, algumas das condições essenciais de uma sociedade desenvolvida."

A série documental "A Crise das Nossas Vidas" será transmitida de segunda a sábado no Jornal das 8.