Rui Patrício deixa o Sporting: "Fui alvo de uma conduta de assédio"

Conheça o essencial da carta de rescisão de Rui Patrício
Rui Patrício e Vera Ribeiro na Selfie

Rui Patrício rescindiu contrato com o Sporting Clube de Portugal, alegando que os seus direitos "legais e contratuais" foram violados.

O ex-jogador do Sporting entregou, esta sexta-feira, dia 1, a carta de rescisão e o site MaisFutebol teve acesso ao que Rui Patrício escreveu. 

"É inequívoco que foram violados os meus mais elementares direitos legais e contratuais, e que não fui tratado pela Sporting SAD com o respeito devido a um colaborador, que não me foram dadas por esta as condições necessárias para o exercício da minha profissão, que fui alvo por esta de uma conduta de assédio, que visou condicionar-me, hostilizar-me e limitar-me na minha liberdade, nomeadamente na expressão, que não foram asseguradas as condições de segurança para exercer a minha atividade", pode ler-se. 

"O representante máximo da SAD criticou-me publicamente, ofendeu-me, suspendeu-me, acusou-me, processou-me. Atiçou, diversas vezes, a ira dos adeptos contra mim e contra os meus colegas de equipa, bem sabendo que alguns adeptos, em particular nas claques, reagem de forma primária e irracional a quaisquer declarações proferidas pelo presidente", escreve o guarda-redes, num documento que tem 34 páginas. 

Recorde-se que, no passado dia 15 de maio, a Academia do Sporting foi invadida por diversos adeptos que agrediram os jogadores e restante equipa técnica, e vandalizaram o balneário. Para Rui Patrício, isso ditou a sua saída do clube, uma vez que isso colocou em perigo a sua vida. 

Acompanhe o site do MaisFutebol AQUI