Fátima Lopes: "O melhor está a acontecer-me"

Igor Pires
Fátima Lopes muda de visual
Fátima Lopes muda de visual
Fátima Lopes tem «casa nova»
Ruben Rua e Fátima Lopes gravam 2.ª temporada de "First Dates"
Fátima Lopes e o afilhado na Selfie
Fátima Lopes e Rui Oliveira no "Monte do Manel"

A apresentadora revelou uma das suas filosofias de vida.

Nesta semana, no blogue Simply Flow, Fátima Lopes revelou um dos seus principais mantras: "Não sei como, mas o melhor está a acontecer-me agora."

A apresentadora conta que, recentemente, fez um direto com Rute Caldeira, uma profissional especializada em meditação. No decorrer da conversa, sobre espiritualidade e crescimento pessoal, Rute Caldeira lembrou esse mantra que a própria Fátima Lopes lhe tinha ensinado.

Revelando ter aprendido este mantra com Christiane Águas, que a acompanhou durante 16 anos na área do desenvolvimento pessoal, Fátima Lopes decidiu fazer uma importante reflexão sobre esta frase: "É dos maiores desbloqueadores mentais que podemos usar e, também, das ferramentas mais eficazes para alcançarmos o que nos deixa felizes e realizados. Quando nos acontece uma situação qualquer desagradável, ou algo que nos deixa tristes ou apreensivos, é normal que nos deixemos levar por esse estado de espírito e acabemos a sentir-nos vítimas. Não percebemos porque é que temos de viver essa situação, achamos que não merecemos e rapidamente passamos para um sentimento de injustiça por parte do Universo. Nessa altura, vestimos a pele de vítima, sem nos apercebermos. Como dizia a Christiane, sempre que vestimos a pele de vítima, atraímos um carrasco. A nossa energia traz-nos exactamente aquilo que projectamos."

"O nosso cérebro leva à letra o que lhe dizemos e produz uma mudança na nossa energia. Se, apesar do que estou a viver e a sentir, lhe digo que o melhor me está a acontecer agora, criam-se as condições para aparecerem as pistas, os sinais e as informações que nos permitem perceber porque é que temos de viver isto, o que é que nos ensina e como é que podemos fazer diferente a seguir", acrescentou Fátima Lopes.