SELFIE NUTRI

Posso incluir sushi na dieta?

Francisca Oliveira
Nutricionista
Sushi

Contentem-se os fãs desta iguaria, porque podemos afirmar que, regra geral, comer sushi é uma opção saudável.

Como qualquer alimento consumido em excesso, é certo e sabido que também poderá engordar, mas, a nível nutricional, sempre é mais saudável ingerir 600 Kcal de sushi e sashimi do que 600 Kcal de pizza ou de hambúrguer.

Os prós:

A energia contida no sushi é, normalmente, baixa, entre 10 a 60 quilocalorias por porção, resultando este baixo valor calórico da pouca quantidade de gordura empregue na confecção deste alimento.

A pouca percentagem de gordura não é o único aspeto positivo em termos nutricionais, podemos encontrar uma fonte de vitaminas nas diversas frutas e vegetais que dão cor e sabor a cada prato, abacate, pepino, rábano, ananás…

Muito nutritivas, as algas são uma boa fonte de iodo, fornecem vitamina A, B1, B2, B6, C, e niacina, que ajudam a controlar os níveis de colesterol nos vasos sanguíneos.

O peixe utilizado na confecção do sushi (atum, salmão, cavala, peixe-espada, camarão…) é, na sua maioria, rico em ácidos gordos ómega 3 que ajudam a prevenir as doenças cardiovasculares. O peixe é uma boa fonte de proteínas, minerais (zinco, potássio e fósforo) e vitaminas do complexo B.

O sushi é uma fonte de hidratos de carbono (derivados do arroz) que permitem uma libertação lenta da energia. Rico em fibras, o arroz proporciona uma digestão agradável e é também fonte de niacina, proteínas, tiamina e ferro. Por não conter glúten, pode ser ingerido por celíacos.

O gengibre, o wasabi e o vinagre contêm propriedades antibacterianas. O gengibre é um forte anti-séptico natural, ajuda na digestão e fortalece o sistema imunitário ajudando o nosso organismo a combater gripes e constipações. O wasabi é uma fonte de vitamina C. O vinagre também colabora na digestão e na diminuição do risco de hipertensão.

O molho de soja, feito a partir de feijões de soja fermentados, é rico em amido, fibras, proteínas e minerais, entre os quais magnésio, potássio e ferro.

Os contras:

O Sushi atual encontra-se desvirtuado em relação ao sushi tradicional que não apresentava na sua composição maionese ou queijo fundido, acrescentando um maior valor calórico e maior percentagem de gordura ao prato.

Outro dos poucos problemas a nível nutricional que podemos apontar ao sushi é o seu teor de sal e de açúcar, que aumenta ainda mais quando se utiliza o molho de soja e teriyaki, respetivamente.

Para quem está de dieta, deverá evitar as peças com os molhos mencionados anteriormente, as que são fritas e as que têm queijo fundido e maionese.

A inclusão de peixe cru pode criar algumas questões ligadas à segurança alimentar destes produtos, o manuseamento deste ingrediente deve ser feito segundo as melhores regras de higiene dos manipuladores, instalações e instrumentos.

Conjugue o prazer, a saúde e a estética no prato com esta maravilha oriunda do Japão, sempre com conta, peso e medida!

Francisca Oliveira
Nutricionista