Cristiano Ronaldo lesiona-se em jogo de empate de Portugal frente à Sérvia

com Lusa
Ronaldo: lesão? «não é nada de grave, volto daqui a uma ou duas semanas»
Cristiano Ronaldo e Georgina Rodríguez na Selfie
Cristiano Ronaldo inaugura novo negócio
Georgina Rodríguez declara-se a Cristiano Ronaldo após noite de glória
Noite de glória de Cristiano Ronaldo leva Georgina Rodríguez às lágrimas

A seleção portuguesa de futebol empatou 1-1 com a Sérvia, num jogo em que Cristiano Ronaldo saiu lesionado, aos 30 minutos.

Em dia de 156.ª internacionalização ‘AA’, o ‘capitão’ saiu lesionado devido a problema muscular, situação que não o preocupa.

"Estou tranquilo, pois sei que vou voltar bem daqui a uma ou duas semanas", disse, assumindo conhecer a capacidade de reação do seu "corpo".

Depois de um hiato de cerca de meio ano em presenças na seleção, justificado com a adaptação à Juventus e futebol italiano, Cristiano Ronaldo garante estar "de corpo e alma" na equipa das ‘quinas’, assegurando que adora representar o país.

"Obviamente que sentia falta da seleção. Já são 16 anos e as coisas não se apagam de um momento para o outro. Algumas vezes temos de pensar em nós. Acho que foi a melhor decisão. O treinador percebeu a minha decisão e o próprio presidente também. Mas isso está ultrapassado", garantiu o jogador que mantém a confiança na equipa e a acreditar no apuramento para o Euro2020, apesar dos empates caseiros com a Ucrânia e Sérvia.

"Faltam muitos jogos, é uma qualificação na qual passam duas equipas. Com tranquilidade, vamos descansar, ir para os clubes e nos próximos jogos temos de ganhar. Tenho muita confiança nos nossos jogadores e treinador. Jogámos bem e tivemos oportunidades, simplesmente a bola não entrou, mas isso é futebol", lamentou.

“Garanto que vamos fazer tudo para estar no Euro2020. Não há que estar nervosos ou perder esperança nesta equipa. Os adeptos têm de dar confiança aos nossos jogadores. E quem percebe de futebol, sabe que Portugal merecia ganhar os dois jogos. Nas vitórias, só contam as bolas que entram. Não entraram agora, nas próximas entrarão", reforçou.