Sophie Turner, de "Game Of Thrones", partilha luta contra a depressão: "Pensei no suicídio, várias vezes"

Joe Jonas e Sophie Turner na Selfie
Joe Jonas e Sophie Turner na Selfie

Numa entrevista emocionante, concedida ao famoso "Dr. Phil", Sophie Turner revelou que começou a sofrer de depressão na adolescência.

A famosa Sansa, de "Game of Thrones", abriu o coração e fez revelações surpreendentes acerca da sua saúde mental.

Quatro anos depois de começar a filmar a série, e com apenas 17 anos, Sophie Turner começou a sofrer de depressão.

Hoje, com 23 anos, decidiu falar sobre os distúrbios mentais que a afetaram no passado e que ultrapassou graças a muitas sessões de terapia.

"É estranho, eu digo que não era muito deprimida quando era mais jovem, mas pensei no suicídio várias vezes. Embora são saiba porquê. Talvez fosse apenas um fascínio esquisito que tinha, mas, sim, pensava nisso. Não creio que seria capaz de ir com a ideia para a frente. Mas não sei", afirmou.

Na origem deste estado depressivo e dos pensamentos suicidas terão estado as críticas que Sophie Turner recebia nas redes sociais e que a afetavam profundamente: "As pessoas diziam, 'a Sansa ganhou cinco quilos' ou 'a Sansa precisa de perder cinco quilos' ou 'a Sansa está gorda'. Foram imensos comentários acerca do meu peso, ou da minha pele, porque eu era uma adolescente, e era normal. Falavam sobre a minha pele, o meu peso e o facto de eu não ser uma boa atriz."

"Eu, simplesmente, acreditava. Dizia 'sim, eu tenho manchas na pele, sou gorda e má atriz'. Simplesmente acreditava. Fazia com que me apertassem o corpete demasiado [para a série]. Tornei-me muito, muito auto-consciente", revelou.

"Ficava a chorar, e chorar, e chorar pelo simples facto de ter de vestir algo. Pensava 'eu não consigo fazer isto. Não consigo ir lá fora. Não há nada que eu queira fazer'", confessou.

Além das sessões de terapia, o noivo, Joe Jonas, também tem sido fundamental no caminho para a recuperação da atriz: "Às vezes, penso que não me amo de todo, mas estou com alguém que me faz perceber que eu tenho algumas qualidades, creio. E quando alguém nos diz que nos ama todos os dias, faz-nos, realmente, pensar o que é que isso significa e faz-nos amar-nos a nós próprios ainda mais. Portanto, sim, eu amo-me."