No Instagram

Maria Sampaio faz desabafo sobre polémica com Rita Pereira: "O assunto nunca foi as tranças"

No Instagram, a atriz Maria Sampaio partilhou um desabafo sobre a mais recente polémica na qual Rita Pereira está envolvida.

Com o fim das gravações de "Quero é Viver", Rita Pereira decidiu adotar um novo look, surgindo, agora, com tranças. Porém, este penteado espoletou, nas redes sociais, uma polémica à qual a própria atriz, de 40 anos, já reagiu.

Entretanto, outras figuras públicas já se manifestaram sobre esta controvérsia. É o caso de Maria Sampaio, que aproveitou para fazer uma reflexão sobre a questão da apropriação cultural.

"Ai, filha para onde tu vens… Há algo de muito errado no ser humano! Se alguém marginalizado diz que se sente ofendido, por que é que o ser humano, maioritariamente no lugar de privilégio que erra, muitas vezes por falta de conhecimento mesmo, em vez de tentar perceber e pedir desculpa, tenta escudar-se, defender-se, chorar em silêncio, muitas vezes até vitimizar-se em vez de só tentar compreender o ponto de vista de quem sofre de verdade e só humildemente aprender a pedir desculpa? Todos erramos e está tudo certo! Mas vamos aprender com os nossos", começou por referir a atriz e cantora.

Maria Sampaio recordou, ainda, a participação no programa "A Tua Cara Não Me é Estranha", no qual, em algumas atuações, a artista teve de fazer blackface, ou seja, recorrer a maquilhagem para pintar o rosto de negro, para interpretar cantoras, como Beyoncé e Jennifer Hudson: "Há cinco anos, fiz 'A Tua Cara Não Me É Estranha' e, consequentemente, fiz blackface, mais do que uma vez! Não tenho de me escudar e de fingir que não fiz nada! Errei! Não devia ter permitido que isso acontecesse… Temos de parar de roubar o lugar de fala de quem realmente sofre! Podemos e devemos lutar lado a lado, mas saber quando e como podemos intervir!"

"Mesmo sendo casada com uma pessoa negra [o ator Gonçalo Cabral], não sabia o peso e o quão ofensiva a minha ação era! Isto mostra que não é por ter um amigo negro ou marido negro, ou até pai negro, que se está consciente do quão ofensivos os nossos atos podem ser!" acrescentou.

Maria Sampaio recordou, ainda, que, no dia em que trocou alianças com Gonçalo Cabral, optou por fazer tranças: "Também fiz, uma vez, na minha vida, tranças. As primas do Gonçalo fizeram-me, no meu casamento. Se hoje voltaria a fazer? Não, não faria! Se posso fazer? Até posso… 'Porque sou livre', como tanto ouço por aí, mas também sou livre para poder roubar e não é por isso que o faço!."

"É o meu estado de consciência de hoje que não me permite sequer querer usar! Se julgo as pessoas brancas que o fazem? Não julgo, nem sou ninguém, nem é o meu lugar de fala para o fazer! Se posso partilhar o porquê de não fazer sentido para mim nunca mais usar, enquanto uma luta continua, enquanto outras ainda nem foram aceites e que não é uma moda? Posso!", exclamou.

No final desta mensagem, Maria Sampaio sublinhou que este desabafo não é um julgamento do look de Rita Pereira: "Para brancos é só uma moda e a nossa vida continua igual. Num lugar de privilégio, como sempre! Para pessoas negras não. […] É muita dor envolvida para eu usar só como trend! É isto que sinto! Mas como digo isto não é um julgamento! É uma partilha de sentimentos!"

Entretanto, perante as notícias publicadas sobre a reflexão de Maria Sampaio, a artista voltou a reforçar que, em momento algum, quis criticar a opção de Rita Pereira: "Gostava de saber onde é que, no meu discurso, critiquei a Rita Pereira? Lá porque estou a defender pessoas, não estou a criticar outras! Este assunto não existe, porque a Rita, hoje, decidiu usar tranças! A Rita sempre usou! E é uma opção dela! Fizeram foi das tranças dela um assunto sensacionalista, quando o assunto base nem era esse! Em Portugal, não vale mesmo a pena falar sobre a luta contra o racismo! Alteram tudo."

Maria Sampaio esclareceu, ainda, que, na respetiva opinião, o assunto principal desta polémica é, na verdade, a música escolhida por Rita Pereira para partilhar as primeiras imagens do novo look: trata-se da canção  "Filha da Tuga", da autoria de Carolina Deslandes e cujo um dos versos é: "Sou branca, para os pretos/ para os brancos, sou preta."

"Não me passem atestados de burrice ou não ponham palavras na minha boca! O assunto nunca foi as tranças da Rita [Pereira], já usei, ela já usou outras vezes, e tantas outras mulheres e homens usam. O peso que a Rita tem mediaticamente e o facto de, por acaso, estar de tranças, abafou o assunto base: pessoas brancas ou de pele clara proferirem as palavras 'para os brancos, sou preta' e isso, sim, ofendeu muita gente, pessoas que sofrem o real preconceito neste país e no mundo pela cor da pele que têm! Esta é a base! Se alguém se sentir ofendido com as minhas palavras, então eu devo, sim, pedir desculpa! Seja neste assunto, seja noutro qualquer", argumentou Maria Sampaio.

"O racismo não é individual, é coletivo, por isso, peço que revejam, sempre, os vossos atos e as vossas palavras! Pessoas negras também não são todas iguais. Achar que são também é racismo", completou.

Veja, agora, na íntegra, as mensagens escritas por Maria Sampaio, na galeria que preparámos para si.

Relacionados