Príncipe André suspende funções públicas após escândalo sexual

Príncipe André envergonha família real em entrevista
Príncipe André ilibado: juiz norte-americano retira acusações de abuso sexual de menores
Princípe André nega publicamente envolvimento com menor
Príncipe André visado num caso de abuso sexual de menores
Príncipe André na Selfie

O príncipe André deixou as funções públicas na quarta-feira, dizendo que a controvérsia em torno da associação ao falecido Jeffrey Epstein causou grande interrupção no trabalho da família real.

O príncipe André, o segundo filho da rainha Isabel II, negou as alegações de que fez sexo com uma jovem de 17 anos, procurada pelo amigo Epstein, que se suicidou numa prisão, nos EUA, enquanto aguardava julgamento por acusações de tráfico sexual.

O escândalo aumentou depois das explicações desastrosas do príncipe André numa entrevista televisiva. No Reino Unido, os telespectadores ficram incrédulos, com a aparente falta de compaixão pelas vítimas de Epstein.

Tal levou várias empresas a distanciar-se das organizações e instituições de caridade associadas ao príncipe André, o que o levou a anunciar a saída da vida pública.

"Ficou claro para mim, nos últimos dias, que as circunstâncias relacionadas à minha antiga associação com Jeffrey Epstein se tornaram uma grande interrupção no trabalho da minha família", disse o filho da rainha Isabel II, em comunicado divulgado pelo Palácio de Buckingham, que acrescenta: "Portanto, perguntei a Sua Majestade se posso renunciar aos deveres públicos no futuro próximo, e ela deu-me a sua permissão."