Carolina Deslandes revolta-se com seguidores: "A ignorância é assustadora"

Carolina Deslandes revolta-se com seguidores: "A ignorância é assustadora"
Carolina Deslandes dedica música a jovem cabo-verdeano morto e emociona a Internet
Carolina Deslandes mostra traquinices dos filhos: "Querem apostar que há m****"
Carolina Deslandes na Selfie
Carolina Deslandes e a família

Perante a indignação de muitos portugueses sobre as últimas notícias do polémico caso Giovani, Carolina Deslandes manifestou-se sobre o assunto, sob a forma de uma canção. A publicação gerou comentários que revoltaram a cantora.

"Isto é inacreditável. Estamos em 2020 e sempre que eu faço um post sobre a homofobia, o racismo, a violência, de feminismo... eu tenho de bloquear meio mundo do meu Instagram. A ignorância é assustadora. Acho que as pessoas não têm noção da quantidade de pessoas nacionalistas e preconceituosas que estão na Internet e no Instagram", começou por desabafar a artista.

É surreal. Só quero esclarecer com vocês algumas coisas: 'Não é por eu falar de um crime que estou a dar menos importância a outro [...]. Vocês virem criticar alguém que está só a tentar fazer uma mudança ou chamar a atenção para uma situação não faz com que nada mude no mundo [...] Isto é maior do que eu e é maior do que tu. [...] Dediquem-se a fazer alguma coisa", concluiu. 

Note-se que a indignação de Carolina Deslandes vem na seque~encia de vários comentários à musica que a cantora dedicou a Giovani, o jovem estudante cabo-verdiano que morreu na sequência de agressões, por parte de um grupo de 15 indivíduos. A cantora viu o caso tornar-se num dos assuntos mais comentados nas redes sociais, depois muitos foram aqueles que se revoltaram pela falta de informação sobre o assunto, ou pela forma como o mesmo tem sido retratado na comunicação social. 

Entretanto, o vídeo de Carolina Deslandes com a legenda "Justiça para Giovani" já se tornou viral, com quase 300 mil visualizações em poucas horas.

Letra da música:

"Se eu sou igual a ti, por que é que me matam e é irrelevante? / Se eu sou igual a ti, por que é que me olham de lado neste restaurante? / Se eu sou igual a ti, por que é consegues coisas que eu não consigo? / Eu não vejo ninguém a implicar contigo. / Só achas que és igual, porque tu não és eu. / Querem começar com o ódio e com a guerra. / Mandam-me voltar para a minha terra. / Enquanto o preconceito ainda impera/ A história vai ser sempre a mesma/ O Dino diz que somos gente de batalha / Lá na televisão, chamaram-nos gentalha. / Que Deus te perdoe e te dê vergonha na cara. / Que Deus te perdoe e te dê vergonha na cara. / Se fosse o teu filho espancado até morrer / E se fosse o teu filho, não ias querer saber? / E se fosse o teu filho, não o querias no jornal? / Mas não é teu filho, a ti dá-te igual."

Assista, agora, ao vídeo.