Emocionada, Maria Vieira protesta ao lado de André Ventura: "Foi um dia que me encheu de orgulho"

"Portugal não é racista": protesto do Chega levou 1.300 manifestantes a Lisboa
Maria Vieira na Selfie
André Ventura na SELFIE

Apoiante do líder do Chega, Maria Vieira parabenizou, uma vez mais, a iniciativa de André Ventura. Desta vez, está em causa o protesto com o mote "Portugal não é racista".

"Ontem, foi um dia grande. Ontem, foi um dia de afirmação, de vitória, de união, de determinação, de orgulho, de respeito e de dignidade. Ontem, foi, também, um dos dias mais felizes da minha vida, foi um dia de janelas abertas para um futuro que se adivinha mais próspero, mais justo, mais seguro, mais democrático e mais livre", começou por escrever, na página de Facebook, ilustrando o texto com uma imagem da manifestação que teve lugar em Lisboa, no passado sábado, dia 27, e juntou cerca de 1300 pessoas.

"Foi um dia que me encheu de orgulho, um dia em que só recebi carinho, gratidão e solidariedade de um rio de gente, um dia em que quase 2000 pessoas saíram à rua, numa altura muito difícil, para seguir o homem que fala a linguagem do povo e que manifesta, como mais ninguém, os receios, os anseios, a esperança e a fé de milhões de portugueses que nele depositam a confiança, que há muito tempo já não depositavam num líder político", continuou.

"Descer a Avenida da Liberdade, ao lado do André Ventura e na companhia de toda aquela boa gente, daquela gente tão corajosa que marchou em uníssono, e, depois, desaguar na Praça do Comércio, para entoar a vozes mil o Hino Nacional, fez-me verter as lágrimas de esperança que mantinha presas nos olhos, à espera do momento certo para serem choradas de emoção", continuou.

Maria Vieira concluiu a publicação com agradecimentos: "Obrigada, a todos os que foram e os que não puderam ir. Obrigada, sobretudo àqueles que, nos bastidores, dão o corpo e a alma por esta causa, àqueles que formam o pilar que eleva o nosso líder e que, se Deus e os portugueses quiserem, em breve, será o homem que tornará Portugal grande novamente. Obrigada, André. Estamos juntos. Tu, eu e todos nós. Que Deus nos abençoe."

Recorde-se que o manifesto do partido Chega, de André Ventura, defende que, em Portugal, não existe racismo. Um protesto que chegou às ruas, três semanas após a manifestação em Lisboa contra o racismo. Um movimento bastante controverso e que tem dado que falar. Entretanto, o SOS Racismo acusou o Chega de ser um partido que "promove ativamente o racismo e a xenofobia", "querendo negar o racismo".