EXCLUSIVO

Joana Ribeiro sobre novo desafio na TVI: "Tenho tido oportunidades muito boas"

Joana Ribeiro sobre novo desafio na TVI: "Tenho tido oportunidades muito boas"
"Prisioneira": conheça a personagem de Joana Ribeiro
Atores gravam "Prisioneira" na Tunísia
Apresentação de "Prisioneira"
Joana Ribeiro na Selfie

Joana Ribeiro esteve à conversa com a Selfie e revelou alguns detalhes sobre as personagens que interpreta na nova novela da TVI, "Prisioneira".

Depois de se ter juntado à família TVI para integrar o elenco de "A Teia", a atriz está de volta na nova novela da estação de Queluz, "Prisioneira".

"É verdade, apanharam-me aqui e, agora, não querem outra coisa! É ótimo, não me posso queixar, tenho tido oportunidades muito boas. A Diana de 'A Teia' foi espetacular, foi um bombom, e, agora, a Teresa também está a ser muito fixe, estou a gostar muito", começou por sublinhar Joana Ribeiro.

Sobre a preparação da personagem, a atriz revelou: "Tivemos um período de mês intenso de ensaios, das 8 da manhã às 6 da tarde, todos os dias, o que foi espetacular, e todos os dias temos a linha aberta para conversar com a autora ou com a equipa de realização, para tirar dúvidas, etc. É muito bom sentir essa abertura e sentir que somos parte do processo e que somos ouvidos, porque é isso que nós gostamos: gostamos de ser ouvidos."

Na trama, a personagem de Joana Ribeiro vai ser mãe, mas, na vida real, a atriz ainda não sentiu o relógio biológico: "Um dia, eventualmente. Não penso nisso agora. Acho que a Teresa também não está preparada, portanto, acho que não tem que haver nenhuma preparação específica. A Teresa vai ser apanhada de surpresa sobre o que é ser mãe."

Por fim, Joana Ribeiro lançou, ainda, um apelo ao público: "Não podem perder, porque há cenas incríveis, toda a gente está a dar o litro para que vocês aí em casa vejam e gostem, temos cenários espetaculares e acho que é uma história muito bonita, portanto, vejam e, depois, até podem nem gostar, mas, pelo menos, vejam o primeiro episódio para terem uma opinião. Se querem falar, falem, mas com conhecimento de causa, com justificação."