Vítima de "mau gosto" da imprensa, Meghan Markle recebe apoio importante

Igor Pires
Meghan Markle e rainha Letizia usam saia igual
O momento ternurento em que o príncipe Harry ajeita o cabelo de Meghan Markle em público
Meghan Markle volta a causar polémica ao contrariar ordem da rainha Isabel II
Meghan Markle no "One Young World" Summit
Meghan Markle e príncipe Harry na cerimónia dos WellChild Awards em Londres

Meghan Markle ficou sensibilizada com gesto solidário.

Mais de 70 deputadas britânicas, pertencentes a vários partidos, assinaram uma carta aberta de apoio a Meghan Markle, devido ao tratamento “de mau gosto” que dizem estar a ser dado por alguns meios de comunicação social à duquesa de Sussex.

Foi nesta terça-feira, dia 29, que a carta foi divulgada. Entretanto, teve resposta de viva voz, pela própria Meghan Markle, nesta quinta-feira, dia 31. A iniciativa da carta terá partido da deputada trabalhista Holly Lynch, que reuniu 72 assinaturas entre as colegas.

"Ela está cá [no Reino Unido], ela casou com o nosso príncipe [Harry], os dois tiveram um filho, nós queremos dar-lhe as boas-vindas à nossa sociedade, mas tenho receio de que nem todos os artigos da imprensa reflitam isso e acho que já chegou a altura de parar", declarou Holly Lynch, de acordo com o site da publicação "Daily Mail", que cita a iTV.

Para a deputada, esta carta surge como uma oposição à cobertura jornalística feita a Meghan Markle, que tantas vezes se caracteriza pelo seu "mau gosto" e por ser "enganadora".

Meghan Markle já reagiu a este apoio, tendo telefonado pessoalmente a Holly Lynch para agradecer o gesto solidário: "Ela afirmou que gostou muito desta iniciativa, tendo agradecido a todas as mulheres que assinaram a carta aberta. [...] Aproveitámos para falar sobre como ser mulher na esfera pública pode ser, por vezes, solitário".

Recorde-se que, no documentário "Harry & Meghan: An African Journey", Meghan Markle confessou que não é fácil lidar com a pressão da imprensa: "Ter um bebé, sabe, e especialmente enquanto mulher, é demasiado. [...] Então acrescenta isto [a pressão da imprensa] ao facto de estar a tentar ser mãe ou enquanto uma recém-casada. É... Obrigada por perguntar, porque poucas pessoas perguntaram se estou bem. É algo muito real de se lidar por trás das câmaras".