Henrique Mateus: "Um gesto, dois campeões"

OPINIÃO
Henrique Mateus
Henrique Mateus

Quando, no final do jogo, José Mourinho esperou por Cristiano Ronaldo, a meio do túnel de Old Trafford para o cumprimentar, não estava apenas a despedir-se até ao encontro de Turim, na próxima quarta-feira, dia 7.

Aconteceu mesmo à minha frente, na zona da flash interview reservada para a TVI. Cristiano demorou-se no relvado a agradecer aos adeptos do Manchester United a calorosa receção que recebeu, a equipa da Juventus já tinha recolhido ao balneário e alguns jogadores do clube italiano já estavam nas entrevistas rápidas.

Ao fundo do túnel, surgiu Cristiano Ronaldo, José Mourinho fez-se ao caminho do jogador da Juventus e os dois selaram o cumprimento.

As duas personagens mais importantes do futebol português dos últimos 15 anos demonstraram gratidão e respeito no primeiro grande embate europeu na liga dos campeões.

Neste segundo regresso a Manchester, Cristiano foi de novo grato ao clube onde jogou seis anos, sentiu-se como se estivesse em casa, o clube e os seus adeptos retribuíram. José Mourinho associou-se a este clima com o gesto no final do encontro: um cumprimento significativo e revelador do reconhecimento pela lenda do Manchester United.

E respeito que já tinha demonstrado na véspera, quando Cristiano foi apontado por Mourinho como um dos melhores de sempre. A cordialidade mútua ficou registada quando Cristiano destacou a experiência do treinador, vencedor por duas vezes da liga dos campeões.

Cristiano ganhou na casa de Mourinho por 1-0 mas isso, neste caso, parece ter sido o menos importante. Porque, afinal de contas, foi apenas mais um jogo de futebol.