urlvisit

Com mensagens emotivas, atores despedem-se das gravações da novela "Quer o Destino"

Atores despedem-se das gravações da novela "Quer o Destino"
Reunido elenco de "Quer o Destino"
Apresentação da novela "Quer o Destino"

Chegaram ao fim as gravações da novela "Quer o Destino" e os atores do elenco fizeram questão de assinalar a data nas redes sociais.

O sucesso da novela "Quer O Destino" tem sido um marco importante para a estação de Queluz de Baixo. Com o final das gravações, muitos dos atores do elenco falaram sobre a forma como o projeto foi importante nas suas vidas.

Leia, agora, as mensagens partilhadas pelos atores.

Pedro Teixeira: "Hoje, a nossa novela 'Quer o Destino' foi a preferida dos portugueses. Isto quer dizer que fomos líderes de audiência, após quase um ano de gravações, e que a TVI voltou a estar no seu lugar de eleição, em primeiro lugar. Agora... Será que isto faz de nós melhores do que éramos há meio ano?[...] Sei que o nosso meio é, por si só, um universo complexo de gestão de egos e sensibilidades. No entanto, desrespeitamos o nosso trabalho quando o nosso foco passam a ser as audiências e não a dedicação imprimida em todo e qualquer trabalho que abraçamos ao longo do nosso percurso. Hoje, ganhámos nós, amanhã ganhará outro. E nós atores, devemos lembrar-nos de que não somos melhores quando ganhamos, nem piores quando perdemos. A vida é mesmo assim, feita de altos e baixos, e deverá ser encarada como tal. Sem artifícios estéreis ou egos inflamados. Pois a nossa classe profissional precisa de atores unidos e com sentido de responsabilidade. Posto isto, hoje celebramos nós e amanhã celebrarão vocês, quando, em boa verdade, deveríamos celebrar todos, e todos os dias, a magnífica oportunidade que nos é dada para fazermos aquilo que amamos, representar. Parabéns a todos e mais uma vez quero deixar um enorme agradecimento ao nosso querido público que carinhosamente acompanha o nosso trabalho desde o primeiro dia. Sejam felizes."

Filipe Vargas: "Última cena com o meu irmão e o seu casaco alter-ego. Obrigado João Vicente, és um ator absolutamente extraordinário e uma pessoa igualmente absolutamente. Felizmente, não foste o único nesta equipa cheia de talentos e amizades. Parabéns Francisco Antunez por teres sido o melhor capitão e a toda a tripulação que deu corpo e voz e alma a esta história. Obrigado a todos em geral e a cada um em particular. Fecho este projecto cheio de orgulho e de coração cheio. Até breve!
Adeus meus irmãos de alma e sangue e coração. Obrigado por terem sido os melhores, sempre, em todas as cenas, e fora de cena, durante todos estes meses. Os manos Santa Cruz são para a vida e a cumplicidade que deu tanta verdade a estas personagens de ficção foi a mesma que solidificou esta verdadeira amizade na vida real."

Isaac Alfaiate: "Hoje foi o dia. Hoje, foi o último dia de gravações deste projeto maravilhoso... se, por um lado, estou triste por ter acabado, por outro, estou muito contente por ter feito parte de um projeto tão especial com pessoas tão boas. Queria dizer que vos adoro a todos e o meu muito obrigado a cada um de vocês, que partilharam comigo esta história tão bonita."

Leonor Seixas: "Patrícia, está feita, vivida. Tenho o coração cheio! Terminámos as gravações, mas esta história fica para sempre.... Muita, muita, muita gratidão por mais esta aventura, sinto-me tão grata por estas pessoas envolvidas, criou-se mais uma família."

Ana Sofia Martins: "Obrigada Helena Amaral, TVI e Plural por este personagem. Obrigada aos meus colegas de elenco e equipa técnica por todo o apoio e pelos momentos que me ficarão para sempre gravados na mente, corpo e coração. Até já!".

Inês Herédia: "[...]Já nos ouviram, muitas vezes, dizer que somos uma equipa muito unida, é uma responsabilidade muito grande dizer isto, cada vez que o digo, olho para dentro e pergunto-me se dei mesmo a mão a toda a gente. O Pedro Lima partiu há umas semanas e, com a partida dele, decidimos ser mais atentos uns aos outros. Não há maneira mais bonita de viver do que esta. Não há outra que valha a pena. Nas últimas semanas, senti que levei muita gente ao colo, mas, acima de tudo, senti uma força gigantesca de uma equipa verdadeiramente coesa que, também, me levou ao colo e protegeu numa fase em que o desgaste físico e emocional não me queriam deixar andar de pé. Por causa deles, não houve um dia em que perdesse a minha felicidade, alegria e histeria a trabalhar. Por causa deles. E, graças a Deus, o coração tem memória, não vão sair daqui".

Marina Mota: "Que este abraço a três se estenda a toda a equipa. Terminaram ontem as gravações. Deixei um pedaço de mim neste projeto e trouxe um pedacinho de todos os que se cruzaram comigo. O amor é sempre o que sobra. Aquele beijo e até... Sempre que a vida queira e nós também."

Anna Eremin: "This is the end... Era início de janeiro, eram 10 da manhã, ainda não me tinha deitado (trabalhava num bar, tínhamos fechado há pouco e eu estava a tomar o pequeno-almoço), quando recebi a chamada a dizer que vinha fazer umas sessões. Apesar de ter chorado de alegria por voltar a casa, voltar ao lugar que tanto amo, estava longe de imaginar que ia ser isto. Aterrei num projeto verdadeiramente especial (sim, todos o são, cada um pelas suas razões, mas...), num projeto que, eu acho, vai ficar nos nossos corações para sempre. Muitas vezes, ouvi pessoas a referir-se ao conceito de 'novela' como uma coisa menor, pouco profunda, pouco importante. Pois bem... gostava eu que todos os projetos, de todas as áreas, tivessem a dimensão deste. Na Humanidade, na entrega, no cuidado, na paixão, na compaixão, no companheirismo, na vontade de fazer melhor, na curiosidade, no perigo. Atravessámos uma pandemia. Abraçámo-nos em momentos de perda e dor. Amámo-nos e ajudámo-nos. Chorámos e rimos muito. 'Implicámo-nos'. Preocupámo-nos. Não por ego. Por amor. Por amor à profissão, ao projeto, a tudo isto que é tão efémero como a própria vida. Naquele dia de janeiro, estava longe de imaginar que estava a embarcar numa viagem que ia mudar a minha vida. Porque tudo o que nos marca, altera-nos, obriga-nos a repensar tudo, coloca tudo em perspetiva, obriga a reformular. Sou muito mais feliz hoje. Muito mais. Desmedidamente mais. E hoje, também choro. E são, também, lágrimas de alegria. Alegria, amor e gratidão. Por mais cliché que seja, gratidão. Por tudo isto. Porque o destino quis que isto fosse o que é - único e extraordinário. E não pode ser de outra forma (ou não devia ser). É este o segredo de fazer as coisas - com tudo. Com amor. Com alma. Sem uma única gota de indiferença. E, por isso, obrigada a todos. A cada Ser Humano deste barco, porque são todos extraordinários mas, Francisco Antunez , para o bem e para o mal (nepia, para o bem!), o Grande Capitão és tu. Só alguém absolutamente implicado consegue reunir e inspirar um grupo tão bonito de forma, aparentemente, tão leve e despreocupada. És grande! São grandes! Obrigada".