urlvisit
EXCLUSIVO

Aos 43 anos, Iva Domingues revela segredos de beleza: "Não quero parecer ter 30, nem 20"

Iva Domingues está de volta à TVI, que foi a casa da apresentadora durante 19 anos. Numa entrevista, exclusiva, à SELFIE, falou sobre os cuidados com o corpo e com a alimentação e, ainda, revelou alguns segredos.

Aos 43 anos, parece que os anos não passam pela Iva. Qual é o segredo?
Levanto-me às 06:30/06:45 horas, depois, à noite, estou cheia de sono, mas acho que é importante. Durmo as oito horas, deito-me cedo e acordo cedo, não fumo, não bebo álcool, tenho cuidado com o que como e faço desporto. Acho que há outra coisa importante: sou uma pessoa bem resolvida, de bem com a vida, tendencialmente otimista, tento sempre ver o lado bom das coisas e aceito muito bem a idade que tenho. Gosto da idade que tenho. Primeiro, fazer anos é ótimo, porque é sinal de que estamos cá. E eu tenho planos para viver até aos 120! [risos]. Não tenho pressa nenhuma e quero ficar cá muito tempo e, se possível, bem. Cuido de mim, acho que toda a gente se deve cuidar… Não quero parecer ter 30, nem 20… quero parecer ter 43! Ajuda muito esse lado de estar bem resolvida com a vida e de aceitar o que vem. Acho que isto é um íman. Eu sou muito cética em relação a tudo… tenho a minha espiritualidade, claro, tenho a minha fé, mas, na verdade, tenho testemunhado, sobretudo desde que fui e voltei… que, quando te focas mais nas coisas boas, atrais coisas boas. Há uma coisa que eu faço desde miúda e que dei como conselho à minha filha: quando alguém passar por ti e tu não souberes se vai dizer olá ou se não vai dizer olá, sorri! Na dúvida, sorri! O sorriso tem, quase sempre, uma resposta positiva do outro lado, porque o sorriso quer dizer que estás disponível, que vens do bem, e, geralmente, traz, sempre, coisas boas. Na dúvida, eu sorrio, estendo sempre a mão, e resulta sempre, porque, na verdade, do outro lado, se calhar, só estavam à espera desse sorriso para sorrirem de volta.

Que cuidados tem com o corpo e com a alimentação?
Tenho uma alimentação específica, ou seja, quase não como carne, porque, pura e simplesmente, nos últimos anos, o meu corpo não lida bem. Como muito peixe e não como sempre proteína. Tento não comer comida processada, ou seja, como o que a terra dá, o que o mar dá, o que as árvores dão. Não como quase pão, não como pizzas, provo, de vez em quando, mas não faz parte da minha rotina. Fritos quase não como. Gosto muito de cozidos e grelhados, gosto muito de comer saudável, porque fui habituada assim, desde pequenina.

Qual é a sua rotina de beleza?
Limpo muito bem a pele, antes de ir dormir. Com tónico, com desmaquilhante, com água e sabão… é com o que for! Mas é preciso limpar bem a pele, porque, nas oito horas seguintes, a pele fica sem nada, vai respirar, vai descansar e, se tiver limpinha, facilita o trabalho. Uso protetor o ano inteiro, para além do meu creme hidratante. Bebo água, bebo chá e não bebo álcool. Bebo um vinho, muito raramente, e não bebo mais nada. Não bebo refrigerantes. Nunca fui de muitos excessos.

Que tipo de exercício físico pratica?
Tento ir ao ginásio todos os dias, nem que seja só para andar na passadeira, por exemplo. Se estou cansada, ponho a minha música nos ouvidos e vou para a passadeira. Moro perto do ginásio, então, vou a pé. Treino há muito tempo, mas sem pesos. Faço cardio… agora, estou mais virada para experimentar pilates, que faz menos esforço nas articulações, e Ioga... E tenho ótimas ideias quando estou na passadeira ou na bicicleta! É como uma meditação.

Atualmente, mudava alguma coisa na sua imagem ou equaciona recorrer a alguma cirurgia estética?
Se pudesse perder mais dois ou três quilos… uma mulher nunca está satisfeita. Cirurgias não. Ficar mais seca era o que eu fazia. Sou, tendencialmente, magra, mas, agora, voltando ao ginásio, se calhar, até consigo. Não mudava assim nada… se calhar... o cabelo, tenho saudades do cabelo de quando tinha 20 anos.

Veja a entrevista, na íntegra, AQUI.