Nacional

Horóscopo deixa importantes alertas para alguns signos! Veja as previsões para a semana de 08 a 14 de agosto

Veja as previsões do horóscopo para os diferentes signos, interpretadas por Vera Xavier LifeCoach & Tarot, para a semana de 08 a 14 de agosto.

LifeCoach & Tarot
  • 8 ago, 15:05
Tarot
Tarot

Carneiro - A Estrela

"O homem sábio é aquele que não se entristece com as coisas que não tem, mas que se alegra com as que tem." (Epíteto) 

Já sabemos que nunca estamos satisfeitos, queremos sempre mais, melhor e maior, e o que acabámos de conquistar deixa de ter valor quase instantaneamente, tal a ansiedade em que vivemos. Deve ser por isto que nunca estamos em paz... porque esta procura incessante é bastante cansativa. 

Por exemplo: fazemos de tudo para não estarmos sozinhos e evitamos a solidão como se fosse uma doença má. Será que não gostamos da nossa companhia? Que sinal damos aos outros, quando nos evitamos desta forma?

É de extrema importância fazer o nosso próprio diagnóstico, o diagnóstico da nossa alma. O que queremos? O que precisamos para crescer espiritual, emocional e materialmente? É preciso parar para nos ouvirmos - outra das coisas que evitamos a todo custo. Ouvimos conselhos de todos e mais alguns, ouvimos gente que sabe bem menos do que nós e, sabendo disto, ainda assim, continuamos a alhear-nos da "real" realidade (perdoe-me o pleonasmo) - daquilo que é, de facto, importante para nós. 

Mais uma vez, esta semana, o Tarot pede que reconheça que, apesar de tudo, é um/a privilegiada/o. Aceite a sua vida e as circunstâncias, caso contrário, se continuar a remar contra a maré, o cansaço vai minar o seu corpo e sua mente, vai bloquear a sua inteligência e o seu discernimento e, a partir daí, começam os erros a acontecerem quase em catadupa. O que fazer para evitar isto? A Estrela irá transmitir-lhe serenidade, fé e realismo. Pare, sinta e aceite. 

Touro - 2 de Copas

"Tudo é amor. Até o ódio, o qual julgas ser a antítese do amor, nada mais é senão o próprio amor que adoeceu, gravemente." (Chico Xavier) 

Falta de amor-próprio, eis, talvez, o mais grave de todos os males. É a partir dele que começam as questões de autoestima, de autossabotagem e, muitas vezes, os processos de autodestruição. Processos que, na maioria das vezes, são inconscientes; processos que começam com demonstrações de gestos de rebeldia, na infância e adolescência, que se vão agravando, na idade adulta, quando não tratados. Vejam-se os maus hábitos e os vícios: tabaco, drogas - quaisquer que sejam -, dependências emocionais, distúrbios alimentares, são formas de alheamento e fuga à realidade, chegando a ser formas, mais ou menos subtis, de suicídio. Isto, porque, quando temos comportamentos que sabemos que nos fazem mal, que são destrutivos, é evidente que algo não está bem. E é por aí que tudo tem de começar; por dentro, pelo tal amor-próprio, pela infância ou adolescência. Há que ir à origem e perceber aquilo que pode ter sido traumático, para nós, e que, de alguma forma, pode estar a causar danos. É fundamental fazer este exercício, ou melhor, ir fazendo este exercício, para nosso próprio bem. 

Não parece, mas esta é uma linda carta de amores. A questão é: não podemos desejar ter um amorzinho lindo, quando temos feridas abertas. Não podemos. O que vamos procurar é um salvador, uma mãe/pai, um terapeuta, uma governanta, etc. No fundo, no fundo, não procuramos alguém que nos alavanque, alguém que nos acrescente que é isso que devemos querer! Vamos mudar este paradigma? Vamos estar disponíveis para um amor saudável? Vamos!

Gémeos - 4 de Copas

"A vida é uma tragédia, quando vista de perto, mas uma comédia, quando vista de longe." (Charlie Chaplin) 

Ou seja, estragamos muitas situações, com grande potencial, porque nos focamos no raio dos detalhes, no comezinho! 

Colamos o nariz à obra de arte, em vez de nos afastarmos para apreciarmos toda a tela, toda a imagem e é bem verdade que procuramos os defeitos e as imperfeições para justificarmos a nossa própria necessidade de fuga. A raiz destas atitudes é, sempre, a mesma: o medo. Neste caso, o medo de envolvimento, de compromissos, de sofrer, da perda, da rejeição. Definitivamente, temos medo de tudo. O que nos faz ter tanto medo? O desconhecimento. Daí que devamos apostar em conhecimento. Não só no conhecimento geral, mas, principalmente, no autoconhecimento. É fundamental sabermos quem somos, quais são as nossas valências e facilidades para as apurarmos. 

Resumindo e baralhando, não dê tanta importância aos detalhes - que são puras distrações - que, afinal, não são assim tão relevantes, para além de que lhe tiram foco e energia. 

O 4 de Copas pode representar um período de pausa. Podemos estar a falar de uma merecida pausa, sim – será que está ou vai de férias? -, mas essa pausa deve ser bem aproveitada para não entrar em estados de alma tristes. 

Aproveite bem o tempo. E seja grata/o pelo que tem. 

A Gratidão transmuta amorosamente a tristeza e afins. Experimente. 

Caranguejo - O Carro

O Carro indica que, esta semana, possivelmente terá de enfrentar uma batalha. Não se melindre, porque o Carro diz que tem a capacidade de, facilmente, controlar a situação. 

Esta lâmina indica sucesso conquistado a pulso, com determinação e vontade insuperáveis e estas conquistas podem ser em qualquer área da sua vida. 

Já sabemos que, sem sagacidade e consistência, pouco se consegue, pelo menos, não se consegue nada sólido. A vontade bruta serve, apenas, de energia motora. Ela, sozinha, pouco consegue. 

Para onde quer ir? Ótimo, já tem um plano em mente. Agora, mesmo sem ter certezas, dê o primeiro passo e, depois, o segundo. Isso: consistência e perseverança. Estas são as palavras-chave desta sua semana. 

Que venham essas batalhas, porque, para além de nunca estarmos desprotegidos, temos de sobra competência para vencê-las! 

Leão - A Papisa

"Por detrás das grandes vitórias de Alexandre, encontramos, sempre, Aristóteles." (Charles de Gaulle) 

Quem anda no Caminho do Discipulado pergunta-se, muitas vezes, pelo seu Mestre, porque dizem que o Mestre aparece, quando o discípulo está pronto. Mas não será que o mestre já chegou e nós nem demos por isso? O facto de acharmos que as coisas e situações têm de se materializar na forma que nós conhecemos ou imaginamos dá azo a grandes confusões e desilusões. Será que aquele que nos vem ensinar tem de ser uma pessoa desconhecida ou podem ser várias, inclusive, de dentro da nossa família? Ou será que não podem ser as próprias circunstâncias? Um livro? 

Na verdade, os nossos mestres são as pessoas que nos rodeiam. São os nossos filhos, netos, irmãos, amigos, desconhecidos e, também, os adversários. Todos eles nos mostram que padrões ainda estamos a repetir. Que formas de agir ainda não melhoramos. Eles mostram-nos que, ainda, temos bastante a trabalhar em nós. 

Então, em vez de se focar nos outros e criticá-los, trabalhe em si e esse trabalho será o exemplo que irá transmitir. É assim que nós os ajudamos. 

Palavras leva-as ao vento, não é como dizem? Mais do que isso, as palavras ferem de forma profunda e nunca as conseguimos retirar. Ficam plasmadas no éter e nas nossas vidas para sempre - as positivas e as nefastas. 

Pense, sinta, pense, novamente, e sinta, novamente, antes de proferir as palavras que está a pensar em proferir. Saem, de facto, as melhores ou serão elas um reflexo do seu passado e respetivas feridas que nada têm a ver com a questão atual?

Virgem - Rainha de Paus

Marcus Cícero disse: "Fica sabendo que és um deus. Se é deus aquele que possui força, sentimento e memória que prevê e que domina, modera e faz mover este corpo ao qual está ligado... és um deus!" 

E somos, mesmo! O absurdo é que a grande maioria de nós não tem essa noção e os que têm destroem, deturpam e vulgarizam esse poder. 

Ora, poderá estar na hora certa de nós, virginianos, tomarmos consciência desta realidade maior e de usarmos, da melhor maneira possível, este poder, cuidando de nós, da nossa família, da nossa cidade, do nosso planeta, que tanto precisa de ajuda. E se cada um de nós fizer um pouquinho... 

A Rainha de Paus - uma lâmina forte e dinâmica - traz recompensas do nosso trabalho árduo e reconhecimento - que pode ser o nosso próprio reconhecimento de que temos feito um bom trabalho, seja a que nível for da nossa existência. Quantas vezes bateu no seu ombro e disse: 'Bom trabalho, giraça/o!' Poucas, não foram? Nem isso fazemos por nós...

Apesar do cansaço, ainda não é tempo de parar. Eu sei, está cansada/o e um pouquinho desanimada/o, mas se o oráculo diz que ainda não é hora de desistir, a gente não desiste, e pronto! 

A meta está já à vista, vai querer morrer na praia, alma linda?! 

Balança - 3 de Ouros

"O sentimento abre as portas da prisão com que o pensamento fecha a alma." (Fernando Pessoa) 

Como seres extremamente racionais que somos - certo, Balancinha? -, baseamos a nossa personalidade e, consequentemente, a vida, nas opiniões e nas ideias que vamos formando. Pouca importância damos ao sentir e, muitas vezes, achamos que essa é uma característica dos fracos. 

Fernando Pessoa defendia, e muito bem, que "sentir é criar". As nossas opiniões e ideais mentais são-nos, normalmente, transmitidas por outras pessoas, por isso, não existe qualquer processo criador ou criativo nelas. E, verdade seja dita, só o que pensamos é que é possível comunicar aos outros, já que os sentimentos são muito difíceis, ou quase impossíveis, de expressar por palavras. A única maneira de mostrar o que se sente é fazendo com que os outros sintam o mesmo. Boa política quando usada no Bem, não acha? 

Uma nova fase aproxima-se, um novo patamar pode ser alcançado, um patamar mais ligado a questões internas que terá consequências externas. 

A vitória sobre o "eu" tirânico, o tal que nos impede de expandir horizontes tanto materiais, como emocionais e mesmo espirituais tende a acontecer. Vai deixar de se martirizar? Sim! Vai parar de arranjar desculpas no exterior? E a crítica, vai ultrapassar? Sim!

É bom conhecermos o nosso "dark side" – aliás, temos de o conhecer -, senão como o poderíamos superar e sublimá-lo? Isto nada tem de assustador, pelo contrário, sentirá que é na verdade bastante libertador. Voa, Fernão Capelo Gaivota [Ainda não leu? Está mais do que na hora].

Escorpião - 3 de Paus

"A base da evolução e da realização é a responsabilidade." Tão, mas tão verdade que dói, não é? 

Enquanto andarmos às voltas com as situações do passado, com as memórias mais ou menos mitigadas, enquanto, andarmos à procura de culpados e vilões, não sairemos desse passado. Este tipo de pensamento e comportamento é tão aprisionante… e repare, estamos em 2022. Pois é, quantos anos têm essas memórias e traumas? 

É urgente sair dessa teia. Enquanto não fizermos as pazes com o passado vamos estar, quais âncoras, no mesmíssimo sítio. Mais uma vez, estamos em 2022! 

Bom, o 3 de Paus fala numa fase de estruturação sem ter de deitar nada abaixo, como faz a Torre. O que significa que pode e deve aproveitar o que já construiu, fortalecendo ainda mais e talvez, quem sabe, renovando algumas ideias que possam estar já um pouco obsoletas. Já sabe, consegue fazer isto, se tiver em paz com a vida.

Sagitário - Rei de Paus

"O coração do homem pode estar deprimido ou exaltado. Em qualquer dos dois casos, o resultado será fatal." (Lao-Tsé)

Toda a gente, de uma maneira ou de outra, deseja encontrar a paz, porque isto é o que mais falta, nas nossas vidas. Todos somos, em determinados momentos, acometidos por sentimentos menos positivos, como a agitação, a irritação, a desarmonia. É natural, somos confrontados com todo o tipo de pessoas e situações que nos podem provocar essas reações. É natural, mas também é natural que não nos deixemos envolver nesse tipo de energia. Se os outros estão irritados, deixá-los estar. Se pudermos, vamos ajudar a mudar esse humor, caso não consigamos, saímos dali. Mas não nos envolvemos, como é nosso costume, verdade?

Qual a melhor maneira de superar estes sentimentos menos positivos? A melhor maneira é, sem dúvida, procurar encontrar a razão básica pela qual eles existem. Qual a raiz do sofrimento? Ao investigarmos a questão, encontramos a solução. Só se consegue encontrar o remédio para uma doença, quando a identificamos, verdade?

No que diz respeito a assuntos mais práticos, este soberano pede-lhe que tenha pulso firme no trabalho... ou será em casa? Porém, isto não significa arrogância, nem prepotência, significa firmeza e nobreza de carácter. Que tipo de comportamento é este? É aquele em que expressamos direta, mas amorosamente, as nossas necessidades e/ou preferências, emoções e opiniões. Tudo isto, sem sermos dominados pela ansiedade e muito menos pela hostilidade para com os outros. Em resumo, podemos e devemos afirmarmo-nos, sem confrontar os outros. 

Capricórnio - 8 de Copas

"O mais importante da vida não é saberes onde estás, mas, sim, para onde vais." (Goethe) 

Reconhecer que está na altura de seguir outro rumo não é nada fácil, contudo, este é o tema principal do 8 de Copas. Esta é uma lâmina de afastamento, o que não significa que tenha de haver um fim. Pode existir, sim, uma necessidade de se afastar de algo ou alguém, de forma a poder ver a situação de outra perspetiva - menos pessoal e emocional, por exemplo. 

Alguma insatisfação poderá ter vindo a crescer, nos últimos tempos, o que significa que algo deverá mudar. 

Não se sente realizada/o com o emprego atual? Não se sente plena/o no seu relacionamento? Acha que merece mais? Boa! Então, está na hora de ir ao encontro do que deseja. Como? Em primeiro lugar é estar genuinamente disponível. Isso mesmo, nada de dizer que gostava muito de conhecer alguém e depois ficar trancada/o na sua torre de marfim. Assim não vale. Até porque assim nada acontece. 

Manter-nos numa situação tóxica por uma questão de segurança é uma sentença de morte lenta. É isso que quer para si? E para a sua família, que também sofre com as suas escolhas ou não escolhas?

Aproveite as férias para pensar de outra forma sobre a sua existência. Saia do automatismo da sua mente. Converse com pessoas inteligentes e tome decisões. E repare que não precisa de dar uma volta de 180º à sua vida, agora! Não, pode fazer tudo com calma e de forma madura. Pode, sim, e deve.

Aquário - 5 de Paus

É bem verdade que todos os homens se enganam [exceto o nosso antigo primeiro ministro e presidente], mas só os grandes homens o reconhecem. Quem tem humildade e modéstia para admitir que errou tudo tem a ganhar, ao contrário do orgulhoso, cuja tendência será de perder. 

Ok, toda a gente já sentiu aquela dificuldade impressionante de ter de engolir o orgulho e admitir um erro... nem sempre é fácil. E porquê? Por que é que não é fácil dizer 'não sei' ou 'errei'? Para que serve o orgulho? Eu digo para que serve: serve para nos isolar dos outros. É para isso que ele serve. O orgulho é imaturo e vão. Não serve absolutamente para nada de útil. Não, não nos protege. Isola-nos.  

O Tarot traz-lhe uma mensagem muito simples: cuidado com o orgulho excessivo tanto no trabalho, como na vida pessoal. 

Esta é uma carta que fala de potenciais conflitos, sejam eles externos ou internos, por isso, conte com uma semana movimentada. Conte com o emergir de uns quantos pequenos desafios que, apesar de não serem perigosos, poderão atrasar os seus planos e objetivos. Vá, não se esqueça de que a paciência é uma grande, grande virtude da qual não é fã, eu sei, mas admiramos que ajuda muito a manter os índices de ansiedade razoáveis.

Peixes - 8 de Ouros

"'Podes dizer-me, por favor, que caminho devo seguir para sair daqui?'" - 'Isso depende muito de para onde queres ir' - respondeu o gato. - 'Preocupa-me pouco aonde ir' - disse Alice. - 'Nesse caso, pouco importa o caminho que sigas' - replicou o gato. (Lewis Carroll -Alice no País das Maravilhas) 

Quando estamos perdidos sem sabermos para onde ir, ou o que queremos fazer, de facto, nenhum caminho é mau ou bom, é, apenas, um caminho. 

Como é que se consegue viver de uma forma saudável, sem qualquer tipo de objetivo? Será que isso é possível? Os objectivos não têm necessariamente de ser só materiais. Construir algo sólido, projetar, batermo-nos por uma causa, ajudar, partilhar, trilhar caminhos desconhecidos e inóspitos, suar, sofrer, chorar, sorrir, ultrapassar, tudo isto faz parte de ter um rumo. Ficar cansado é natural e é sinal de que estamos a fazer qualquer coisa por nós, verdade? Este, sim, é um percurso invejável. Sim, também conhecemos quem esteja cansado e nunca chegou a lado nenhum... talvez estejam a perseguir um falso objetivo, uma ilusão, talvez.

Dedicação! Esta é a palavra-chave, para esta semana. Nada de deixar as coisas por mãos alheias. 

O oráculo pede-lhe, então, dedicação e concentração no que toca aos seus projetos, sejam eles profissionais ou pessoais. Talvez seja necessário fazer, agora, um esforço extra para que, seguidamente, possa atingir um estado de maior segurança que a/o poderá instigar a voos maiores. 

Relacionados