urlvisit

Maria Vieira critica Catarina Furtado: "Sérias dificuldades linguísticas"

Maria Vieira na Selfie
Catarina Furtado declama poema
Catarina Furtado adere ao movimento "Vermelho em Belém" com apelo emotivo
Catarina Furtado no "Conta-me" com Manuel Luís Goucha
Catarina Furtado e João Reis em viagem pela Escócia

Catarina Furtado voltou a ser criticada por Maria Vieira. Desta vez, a atriz condenou a prestação da apresentadora na cobertura da cerimónia dos Óscares.

Durante a condução dos Óscares, transmitidos pela RTP, Catarina Furtado terá pronunciado de forma incorreta o nome do ator Joaquin Phoenix e Maria Vieira não deixou a gafe passar em branco.

"Acabei agora de saber, através de um amigo (e, posteriormente, fiz rewind na 'box' para confirmar) que, durante o direto da Gala dos Óscares, na RTP, a Catarina Furtado se referiu ao ator Joaquin Phoenix como "Joaquim Fónix"!", começou por escrever a atriz, na página de Facebook.

"Foneticamente, o nome do referido ator seria pronunciado, em inglês, como 'Wakeen Phinix', mas a boa da Catarina, que já por diversas vezes provou ser uma 'apresentadeira' com sérias dificuldades linguísticas, resolveu imitar o Zézé Camarinha e, à boa maneira portuguesa, vai de lhe chamar 'Joaquim Fónix'", disse.

"O Mário Augusto, que co-apresentou a coisa com a Furtado, ainda a corrigiu, repetindo corretamente o nome do ator americano, mas ela não deu parte fraca e lá continuou, de perna traçada, a dizer aquelas coisas muito inclusivas, muito boazinhas e muito fofinhas que lhe vão mantendo o emprego", acrescentou.

Maria Vieira aproveitou, ainda, para garantir que, apesar das sucessivas críticas, não tem nada contra Catarina Furtado: "Ao contrário do que alguém possa pensar, nada tenho contra a Catarina Furtado, o que me deixa cada vez mais indignada é a constante e eterna premiação da incompetência, da falta de jeito e da falta de talento que perdura na sociedade portuguesa, sobretudo nas televisões que são pagas e subsidiadas com os dinheiros públicos que tanta falta fazem a um país cujo povo vive com tantas dificuldades, numa nação onde a saúde, a educação e a segurança pública são das mais precárias e deficientes da Europa e onde o dinheiro é, tantas vezes, esbanjado com 'Gente Que Não Sabe Estar'..."