urlvisit

Ana Marques recorda fase difícil: "Cheguei a pesar 39 quilos"

Ana Marques na SELFIE
Ana Marques surpreende o pai em dia de aniversário

Foi numa entrevista concedida ao programa de Júlia Pinheiro que Ana Marques falou sobre o estigma da magreza e de como este a afetou, no decorrer da vida.

"Nunca houve por parte dos médicos uma indicação de que eu era mais magra do que o normal, mas bastava olhar para mim para ver que, a partir dos 6,7 anos, era uma miúda com uma estrutura muito magra que me dava um ar frágil", começou por recordar.

"Era muito magra. Tinha os braços e as pernas muito compridos e era muito fininha. Era alvo das outras miúdas chamarem-me os nomes todos que se chamava na altura: Olívia Palito, espirra canivetes, esqueleto vaidoso. Dizerem, muitas vezes, que magreza é 'desbeleza' e gordura é formosura. [...] Não é que isto ofenda ninguém, mas era usado como forma de atacar. [...] Mexe, obviamente, com a autoestima", contou.

"Por outro lado, eu não me sentia mal no meu corpo. Sentia-me muito bem e, como fazia bailado, era onde encontrava o meu espaço de encaixe, no ballet, onde isso era elogiado. De resto, estavam sempre a lembrar-me que havia um defeito, que não é um defeito, que é ser magra", continuou.

Ana Marques confessou que chegou a tentar aumentar de peso, mas "não sabia por onde pegar": "Na realidade, alimentava-me muito bem."

"Quando entrei para a SIC, estava a estudar ao mesmo tempo, comecei a emagrecer. Passei de uns 52 quilos para 45 quilos. E foi aí que comecei a fazer coisas para engordar, como comer [...] coisas altamente calóricas, o não é um 'engordar saudável'. É um engordar para fazer a vontade aos outros", lembrou,

"Engravidei com 44 quilos, que, para algumas pessoas, é um peso associado à anorexia, e impossível de engravidar... as miúdas até perdem a menstruação. Os 44 quilos, para mim, eram uma coisa normal, engravidei com facilidade", contou, lembrando que o peso mais baixo alcançou logo após o nascimento das filhas gémeas: "Cheguei a pesar 39 quilos, era uma coisa assustadora e senti muito os olhares em cima de mim. Às tantas, também traz tristeza."