urlvisit

Marco Paulo vence mais um cancro e partilha testemunho comovente: "Sofri muito"

Marco Paulo na SELFIE
Marco Paulo regressa às redes sociais com apelo
Marco Paulo apresenta novo álbum
À conversa com Marco Paulo
Marco Paulo convidado de Fátima Lopes no "Conta-me Como És"

Marco Paulo esteve à conversa com Júlia Pinheiro, recordando as batalhas que travou contra dois cancros, fazendo algumas confidências sobre os períodos atribulados que terminam esta quarta feira, dia 23, com um último tratamento de radioterapia.

O cantor, de 75 anos, concedeu uma entrevista exclusiva ao programa "Casa Feliz", para falar sobre a luta contra a doença oncológica que, por duas vezes, lhe foi diagnosticada. Em 1996, Marco Paulo batalhou contra um cancro no cólon, e, recentemente, contra um cancro na mama, que, esta quarta-feira, dia 23, vê vencido.

Marco Paulo falou sobre todo o longo e duro processo que o fragilizou, mas que, em momento algum, o fez desistir da Fé, até porque, nos momentos em que foi mais testado, o ídolo português lembrava: "Há sempre quem esteja pior do que eu".

"Quis mostrar que, quando o cabelo me caiu, fiquei triste, mas o nascimento do cabelo é sinal de que nos estamos a curar, que estamos a ficar bem e que devemos olhar a vida com muita coragem. Há sempre quem esteja pior do que nós. [...] Quero apresentar-me, no programa da Júlia, tal e qual como estou. Porque, se estou assim, não fui eu que quis. Foram circunstâncias da vida e do momento que estou a atravessar", explicou.

O intérprete de "Maravilhoso Coração" contou, ainda, que sofreu mais com o primeiro cancro, já que pensou ver a carreira destruída: "Não sei explicar muito bem o que aconteceu. Sei que o tumor foi tirado aqui nesta zona [da barriga]. Sentia a perna presa. De noite, acordei, às quatro da manhã, levantei-me e a perna não mexia, estava parada. Subi as escadas de gatas e fui bater à porta do quarto dos meus compadres, e disse: 'Estou com uma perna paralisada, não consigo andar'. Eles telefonaram para o meu médico. Nem se pensava em cancro, não se pensava em nada. Às cinco da manhã, estava no consultório e ele começou a apalpar", contou.

Sobre as manchetes na imprensa, que, na altura, noticiavam as cirurgias a que o artista se submetia, Marco Paulo retificou: "Não me mexeram nos intestinos, nem na aorta. Tiraram-me daqui de baixo [região na barriga], um tumor que tinha quase o tamanho de uma tangerina. Nessa altura, foi tudo diferente. 'Doutor, vai-me cair o cabelo?' Comecei, logo, a pensar nos meus caracóis. Naquela altura, era a minha imagem de marca... eu sofri muito, no primeiro cancro que tive. Como é que eu ia entrar em palco? Desta vez, já tive uma reação diferente. Mesmo careca, fui ao Porto cantar. 'Esteja como estiver, as pessoas vão ter de me receber como estou. Não tenho culpa."

"Preocupava-me. Eu podia ficar sem forças, podia ficar com a voz distorcida. Felizmente, não aconteceu, porque eu acho que estou a cantar melhor do que cantava, a voz está mais cheia. Tinha muito medo e tenho muito medo de perder a minha voz", disse.

Recorde-se que o Diretor de Programas da SIC, Daniel Oliveira, anunciou a "celebração da vida daquele que é um dos maiores ídolos populares portugueses", num dia que ficou marcado pela homenagem a Simone de Oliveira e Bárbara Guimarães, ambas sobreviventes de doenças oncológicas.