urlvisit

Nuno Santos lamenta morte: "Era um homem livre"

Nuno Santos na SELFIE
Morte de Jorge Coelho deixa política de luto: "Um grande choque", diz Marcelo
Circulatura do quadrado - «Um abraço, Jorge Coelho»

Nuno Santos usou as redes sociais para lamentar a morte de Jorge Coelho, recordando o "homem livre", que "assumiu a responsabilidade política".

O antigo ministro Jorge Coelho morreu, na passada quarta-feira, dia 7, aos 66 anos, vítima de um ataque cardíaco. 

Nas redes sociais sucedem-se as homenagens ao empresário, que teve a carreira política marcada pela tragédia de Entre-os-Rios.

Nuno Santos, atual Diretor-Geral da TVI, lamentou esta morte, com uma publicação no Instagram, na qual partilhou uma imagem de Jorge Coelho e recordou o antigo ministro.

"Algures no verão passado, o telefone tocou e, do outro lado, a voz inconfundível de Jorge Coelho fez-se ouvir", começou por contar Nuno Santos, descrevendo, de seguida, a conversa, na qual o político anunciou que "estava de saída da 'Circulatura do Quadrado', porque já não queria "estar todas as semanas na televisão".

"Jorge Coelho era um homem livre. Fiel às suas convicções, leal aos seus amigos, viveu muitas vidas e parece ter escolhido sempre a que queria viver a seguir", afirmou Nuno Santos, antes de sublinhar: "Num país onde a regra é sacudir a água do capote, ficará para sempre como o ministro que se demitiu por causa da queda da Ponte de Entre os Rios. Assumiu a responsabilidade política, coisa rara. Eis um homem tão genuinamente português, com uma ação nada comum entre nós."

"Deixa saudades", rematou Nuno Santos.