urlvisit

Pedro Crispim sobre o "Big Brother": "Uma viagem nem sempre fácil"

Pedro Crispim na SELFIE
Pedro Crispim como nunca o viu, na SELFIE SEM FILTROS

A poucos dias do final de mais uma edição do "Big Brother", Pedro Crispim fez um balanço dos 11 meses em que foi comentador do reality show da TVI.

Recorrendo ao Instagram, Pedro Crispim fez uma viagem no tempo e recordou uma fotografia da estreia como comentador do "Big Brother".

"Começámos a contagem decrescente para a grande final deste 'Big Brother - Duplo Impacto'. Estávamos em abril de 2020. Foi neste estúdio, com a emissão especial 'Pós-Gala', num domingo, que demos início ao Extra do 'Big Brother 2020'. Comprometi-me, e não olhei mais para trás, já lá vai quase um ano. Fui, numa viagem nem sempre fácil, nem sempre pacífica, mas, sem dúvida, memorável. Neste estúdio, nasceu a 'bobage', o 'social básico' e a 'cutucada'. E foi o mesmo estúdio a servir de palco a confrontos intensos, algumas lágrimas, mas, acima de tudo, a momentos bem-dispostos. Tudo fez parte de uma narrativa própria que se foi construindo, naturalmente, e que, acredito, foi apaixonando as pessoas lá em casa. Este dia foi a minha estreia 'nisto dos reality shows'. Devo dizer que nunca tive receio, senti que deveria ter esta experiência, acreditei que não era por acaso que me tinha surgido a oportunidade. Aliás, nunca é. Encontrei, aqui, uma montra para me mostrar como comentador e, acima de tudo, como comunicador. Uma das premissas foi sair da zona de conforto, ir além do 'tipo da moda'. Na altura, tinha o meu espaço de moda, 'O Guru da Moda', no programa 'Você na TV!'", começou por recordar.

Pedro Crispim acredita que, com esta experiência, evoluiu, tanto na área profissional, como a nível pessoal: "Durante esta fase, aprendi, limei arestas e tive a oportunidade de crescer, como profissional e indivíduo.
Agradeço o privilégio de ter trabalhado com todos os incríveis profissionais, e foram muitos, e agradeço aos concorrentes, pois são a peça-chave desta estrutura. Agradeço, também, a todos os comentadores. Mas o meu agradecimento mais especial vai para o público. Foi ele, foram sempre as pessoas o porto de chegada do meu trabalho. E essa consciência foi crescendo. Quando me sentava naquele sofá, o Pedro, que estava cansado e preocupado (pois, àquela hora, já levava um dia de trabalho na 'mochila'), e o Pedro, que era mais reservado, ficavam fora do estúdio e nascia o 'Rei da Bobage'. A principal tónica da minha persona televisiva era fazer as pessoas, lá em casa, pensarem noutras coisas, para além da realidade complicada em que o mundo se encontrava, e encontra. Nem que fosse por umas horas. Pensei, sempre, que, se conseguisse colocar um sorriso numa só pessoa, já valia a pena. E foram muitas as que sorriram comigo, connosco. Gratidão, sempre!"

Veja, agora, a imagem da estreia de Pedro Crispim como comentador do "Big Brother", na galeria de fotografias que preparámos para si.