urlvisit

Em lágrimas, Paulo Valter reage a alegadas falsas acusações: "Isto é desumano!"

Redação Selfie

Foi através das redes sociais que Paulo Valter denunciou as mensagens ofensivas que tem recebido, após ter sido injustamente acusado de agredir uma mulher, segundo relatou o próprio.

"Boa tarde, meus queridos! Então, é o seguinte: como vocês podem ver estou numa fase bastante complicada, fui acusado injustamente de uma mentira que eu bati numa mulher, que eu agredi uma mulher com marcas que eu não fiz. Eu agora ter que comprovar isso, eu vou à Polícia Judiciária apresentar uma queixa, eles vão ter que ir atrás dessa pessoa porque eu tenho a minha imagem na Internet a dizer que eu agredi uma mulher que não aconteceu", começou por explicar o ex-concorrente de "O Amor Acontece".

"Isto não se faz a ninguém. Ninguém! Isto é desumano, eu nunca passei por isto na minha vida. Se eu tenho que passar por esta tempestade, eu passo, mas só vos peço uma coisa: deixem a minha família em paz! Deixem a minha mãe em paz, deixem o meu irmão em paz, a minha avó e o meu avô. A mim, se me quiserem fazer mal, podem fazer mal. Agora, eu não agredi mulher nenhuma… isto não se faz a ninguém", acrescentou.

Visivelmente emocionado e perturbado com os ataques nas redes sociais, bem como a destruição de que o carro foi alvo, defendeu: "Eu não aceito estas mentiras! Porque eu não agredi aquela mulher, eu não parti óculos a nenhuma mulher e eu estou a ser julgado em praça pública por uma coisa que eu não fiz, uma difamação enorme, várias mensagens de ameaças de morte"

"Jamais faria isso! [...] Obrigado a quem está comigo e a mandar", disse.

"Deixo a fama, deixo tudo, que se lixe a fama, que se lixe essas coisas, porque primeiro está a família, entendem? Estas pessoas têm de pensar isso. Por causa de um kispo, uma troca de um kispo. Eu estava no trânsito, eu cheguei atrasado e a pessoa disse ‘Vai para casa, depois eu venho. [...] Porque é que as pessoas são tão más? Porquê? Não se faz isto a ninguém", rematou.

Assista, agora, ao vídeo.