urlvisit

Após "desespero", Felipa Garnel emociona-se com gesto "lindo": "De alma cheia"

Em viagem, Felipa Garnel fica encantada com a cidade de Guimarães
Felipa Garnel recorda luta contra a Covid-19: «Tinha medo de adormecer»
Momentos engraçados de Filipa Garnel e do marido no «A loira e o doutor»
«A loira e o doutor»: um projeto de Filipa Garnel e do marido
Felipa Garnel na SELFIE
"Apanha Se Puderes" com Luís Esparteiro, Helena Isabel, Felipa Garnel e Sílvia Rizzo

Através do Instagram, Felipa Garnel contou um episódio emotivo que viveu na cidade de Guimarães.

Felipa Garnel seguiu à risca o lema "viaje fora cá dentro", na passada quinta-feira, dia 18, com um passeio por Guimarães.

No Instagram, a comunicadora, de 57 anos, partilhou algumas fotografias desses momentos de lazer e, na descrição, aproveitou para contar um episódio marcante que viveu na cidade. "Hoje, passei o dia em Guimarães, que é tão bonito quanto as pessoas que lá vivem. Leiam bem o que me aconteceu. Andava perdida, de iPhone em punho, a fotografar e a filmar, quando o meu telefone tocou. Sentei-me num banco de pedra, no largo da Câmara Municipal, e pousei a carteira que trazia a tiracolo, no banco, enquanto conversava. Quando desliguei, levantei-me e continuei a minha tarefa: descobrir e registar as maravilhas do centro histórico de Guimarães", começou por recordar.

"Passados uns 20 minutos precisei da máscara para entrar numa loja e percebi que não tinha a carteira comigo. Fiquei desesperada. Estava tudo lá dentro, exceto o IPhone. Documentos, cartões de crédito, chaves do carro, tudo! E o pior é que já tinha andado tanto por praças, ruas e ruelas que nem sequer sabia voltar aonde estivera sentada. Respirei fundo, tentei orientar-me e comecei a fazer o percurso ao contrário, em passo apressado, mas sem grandes esperanças. Finalmente, cheguei ao largo da Câmara Municipal e, claro, nada da minha carteira…", contou Felipa Garnel.

Preocupada, a comunicadora estava prestes a contactar a Polícia, até que foi surpreendida com um gesto "lindo": "Perguntei a um senhor, que por ali estava, se a tinha visto, respondeu-me que não e que seria uma sorte encontrá-la. Restava-me a Polícia. Talvez a tivessem deixado lá… Estava o dito homem a explicar-me onde ficava a Polícia e vejo dois senhores e uma senhora a correrem na minha direção. 'Está aqui o que procura', disseram-me, estendendo-me a carteira fechada. 'Já lhe enviámos mensagens pelo Messenger, pelo Instagram e, agora, íamos à Polícia, mas resolvemos passar por aqui, primeiro, pois pensámos que talvez a encontrássemos.'"

"Ressuscitei! Sem sequer me lembrar da pandemia, abracei os três e agradeci-lhes infinitamente o gesto, a seriedade, a disponibilidade. Continuei o meu passeio aliviada e de alma cheia. Portugal é lindo e a sua gente é mais ainda", afirmou a comunicadora.

Na legenda das fotografias, Felipa Garnel sublinhou outra atitude dos vimaranenses que a emocionou: "Durante a manhã, já tinha sentido a hospitalidade dos vimaranenses, quando a Rosa, dona de uma loja de roupa, me viu passar e me chamou para me dar um presente. Dizia ela que me acompanhava há muitos anos e que gostava que eu escolhesse alguma coisa da sua loja. Que generosidade incrível!"

"Depois de grande insistência, lá escolhi um casaco de malha com uns bolsos pintados à mão por ela, que, durante vários anos, esteve emigrada em França. Voltou para se estabelecer em Guimarães, a terra que a viu nascer, e abriu a Chez Rossi, onde encontrei roupa linda, com um toque especial!", exclamou.

No final, o balanço de Felipa Garnel não podia ser mais bonito: "Foi cheio o meu dia em Guimarães. E bonito. Em todos os aspetos. O dia estava magnífico, a cidade é de cortar a respiração e os seus habitantes merecem cada metro quadrado daquele paraíso."

Veja, agora, as imagens partilhadas por Felipa Garnel, na galeria de fotografias que preparámos para si.