António Raminhos faz desabafo sentido: "Não me adianta nada destilar ódio"

António e Catarina Raminhos na SELFIE
"Tratei mal a Catarina, fui bruto com ela". António Raminhos fala sobre problema de saúde
"A Vida Lá Fora": o estúdio de António Raminhos
Catarina Raminhos lança "Minore e a Magia das Cores"
António Raminhos na Selfie

O humorista António Raminhos fez uma reflexão sobre a atual situação do Ministério da Cultura.

Nos últimos dias, o Ministério da Cultura tem estado sob fogo, devido à atual crise que se vive no sector, causada pela pandemia de coronavírus.

Daí que, no Instagram, António Raminhos tenha partilhado um desabafo sentido sobre a Ministra da Cultura, Graça Fonseca.

"Sabem aquilo que falei sobre a Ministra da Cultura? E de que o que tenho mesmo é compaixão? É uma atitude que procuro explorar cada vez mais: a de pensar que há dois lados da mesma moeda. Que não conhecemos tudo. Quero mesmo acreditar que a Cultura, tal como outros ministérios, está, de algum modo, a fazer o que pode. Mas o que 'podem fazer' parece sempre insuficiente, porque há uma máquina com séculos de existência que passa por todos os partidos e governantes desde o início da História. E quando chega a altura de ajudar... há uma data de burocracias e coisas que se metem pelo meio", começou por escrever o humorista.

"Por isso, prefiro mesmo acreditar que tudo está a ser feito. [...] Estou a ser anjinho? Se calhar, mas também não me adianta nada destilar ódio numa altura inédita da nossa História. Povo ou Governo nunca na vida sonharam com pandemias, nem a máquina estava preparada para isto. E, da minha parte, vou continuar a ajudar quem precisa. Aliás, em breve há-de haver aí outra recolha de alimentos aqui na Ericeira", terminou António Raminhos.

Veja, agora, algumas das melhores imagens de António Raminhos, nas galerias de fotografias que preparámos para sI.